Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Cannes proíbe o “burquíni”, traje de banho usado por muçulmanas

O prefeito de Cannes afirmou que a roupa é um símbolo de extremismo e pode causar tumultos na beira da praia

Por Da redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h01 - Publicado em 12 ago 2016, 14h20

A prefeitura da cidade de Cannes, no litoral da França, baniu o uso dos trajes de banho conhecidos como “burquínis” na beira da praia, por questões de “ordem pública”. A roupa, que cobre todo o corpo, é usada por mulheres muçulmanas que adotam o uso da burca e, portanto, não podem vestir biquínis ou maiôs comuns.

De acordo com David Lisnard, prefeito de Cannes, os burquínis são “um símbolo de extremismo islâmico” e podem causar tumultos, devido ao clima de medo causado pelos recentes ataques terroristas no país. Quem burlar a nova lei será convidado a trocar de traje ou a deixar a praia, sob pena de multa de 38 euros (134 reais).

Leia também:
Cannes proíbe bolsas de praia por medo de terrorismo
Segundo terrorista de ataque à igreja era fichado pela polícia
Terrorista de Nice armazenava imagens de Bin Laden e do EI

“Roupas de praia que mostram ostensivamente uma afiliação religiosa, considerando que a França e locais de culto são atualmente alvos de ataques terroristas, podem criar problemas de ordem pública (conflitos, mobilizações) que devem ser evitados”, diz o decreto. Segundo a rede CNN, a regulamentação será válida pelo menos até o dia 31 agosto, quando acaba a época mais movimentada do verão europeu.

Em resposta à decisão, grupos muçulmanos e associações de direitos humanos da França afirmaram que vão tomar medidas legais contra a prefeitura de Cannes. O ativista Hervé Lavisse, da Liga Francesa de Direitos Humanos, declarou em comunicado que esse é “um abuso da lei” e comentou que políticos da direita precisam “acalmar seu fervor discriminatório e defender o espírito da república”.

Continua após a publicidade

Publicidade