Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cambojanos saem às ruas para saudar ex-rei morto

O antigo monarca Norodom Sihanouk morreu em Pequim, aos 89 anos de idade

Dezenas de milhares de cambojanos saíram nesta quarta-feira às ruas da capital Phnom Penh para saudar o caixão com oo corpo do ex-rei do Camboja, Norodom Sihanouk, morto aos 89 anos, há dois dias, em Pequim . O atual soberano e filho mais novo de Sihanouk, Norodom Sihamoni, e o primeiro-ministro do país, Hun Sen, acompanharam o caixão durante sua viagem desde a capital chinesa.

As imagens divulgadas pela televisão estatal mostram o caixão sendo levado em um ônibus enfeitado que era escoltado por um comboio integrado por vários veículos. Cambojanos de todas as gerações aguardaram a chegada do corpo no aeroporto de Pochentong e nas ruas pelas quais foi transportado até o palácio real, situado às margens do rio Tonle Sap.

Resistência – O corpo de Sihanouk, que foi coroado rei em duas ocasiões – entre 1941 e 1955 e entre 1993 e 2004 -, líder da resistência após invasão do Camboja por tropas vietnamitas em 1979. Sihanouk se aliou à guerrilha da qual surgiria o Khmer Vermelho, que o utilizou como líder visível e depois o pôs sob detenção em seu palácio. Em meados dos anos 1970, ele se exilou na China, onde criticou Pol Pot, líder do Khmer Vermelho, devido ao genocídio de pelo menos 1,7 milhão de pessoas nos campos de extermínio e por causa das crises de fome. Com a queda do regime comunista, assumiu de novo o trono em 1993.

Os restos mortais de Sihanouk, que durante a última década de sua vida lutou contra um câncer de próstata, diabetes e doenças cardiovasculares, serão incinerados apenas em janeiro, seguindo o rito budista, indicou o governo cambojano em comunicado. Uma semana de luto oficial foi declarado e as emissoras de televisão e rádio foram orientadas a não transmitir programas que possam arranhar a imagem do antigo monarca, considerado por muitos cambojanos a máxima autoridade moral do país.

(Com agência EFE)