Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Busca do FBI em escritório de advogado é ‘caça às bruxas’, diz Trump

Agentes buscam documentos relacionados a pagamento feito por Michael Cohen à atriz pornô Stormy Daniels

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou a busca realizada pelo FBI no escritório de seu advogado pessoal, Michael Cohen, em Nova York.

“Isto é uma vergonha! Uma verdadeira vergonha! É um ataque contra nosso país”, protestou Trump ao lado dos principais líderes militares do país, reunidos na Casa Branca para abordar a questão síria.

“É uma caça às bruxas”, acrescentou o presidente.

Cohen admitiu recentemente que pagou 130.000 dólares à atriz pornô Stephanie Clifford, conhecida como Stormy Daniels, como parte de um acordo de confidencialidade para que ela mantivesse o silêncio sobre seu relacionamento amoroso com Trump. Daniels afirma que manteve um caso com Trump em 2006.

Durante as buscas, os agentes do FBI recolheram documentos relacionados ao pagamento feito à atriz, além de e-mails, arquivos sobre impostos e registros comerciais do escritório de Cohen

A busca ocorreu “em parte a pedido” do procurador especial Robert Mueller, assinalou Stephen Ryan, advogado de Cohen.

Mueller dirige a investigação sobre o suposto conluio entre a equipe de Trump e funcionários russos durante a campanha presidencial de 2016 para favorecer o candidato republicano. Assessores do procurador especial se negaram a comentar a operação.

Ryan declarou em um comunicado que a “decisão do procurador de realizar esta investigação utilizando tais ordens de busca é totalmente imprópria e desnecessária (…) e resultou no acesso a comunicações sigilosas e protegidas entre um advogado e seu cliente”.

“Esta tática governamental é muito má, porque Cohen cooperou totalmente com todos os órgãos do governo, entregando milhares de documentos não confidenciais ao Congresso e prestando depoimento sob juramento”.

Cohen foi advogado de Trump e seu confidente durante anos. Atualmente, aconselha o presidente em negócios imobiliários e questões pessoais.

(Com AFP)