Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Biden proíbe importações de Xinjiang, na China, por trabalho forçado

Chineses são acusado de genocídio étnico contra minoria muçulmana uigur

Por Ernesto Neves Atualizado em 30 dez 2021, 17h11 - Publicado em 30 dez 2021, 16h01

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sancionou nesta quinta-feira (30) a proibição das importações de produtos com origem na província de Xinjiang, na China.

O bloqueio tem como justificativa a repressão das autoridades de Pequim contra a minoria étnica uigur, que vive nessa região.

Os chineses tem sido acusados de obrigar os uigures a realizar trabalhos forçados.

Também há relatos extensos sobre a internação compulsória de milhões de uigures em campos de reeducação.

Esses centros têm como objetivo eliminar a religião muçulmana da província.

Continua após a publicidade

O projeto foi aprovado no Congresso americano em dezembro. De acordo com a legislação, todos os produtos de Xinjiang são feitos através de trabalho forçado, a menos que a China prove o contrário.

Alguns produtos, como algodão, tomate e peças para a fabricação de paineis solares, foram designados como particularmente sensíveis para a fiscalização.

A embaixada da China em Washington afirmou que o ato “ignora a verdade e calunia maliciosamente a situação dos direitos humanos em Xinjiang”.

“Esta é uma violação grave do direito internacional e das normas de relações internacionais e uma grande interferência nos assuntos internos da China. A China condena veementemente e a rejeita com firmeza”, disse o porta-voz da embaixada, Liu Pengyu.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)