Clique e assine a partir de 9,90/mês

Atentado contra cinema pornô deixa 11 mortos no Paquistão

Ataque ocorreu em Peshawar, onde outro cinema foi alvo de explosões que deixaram cinco mortos, há quase duas semanas

Por Da Redação - 11 fev 2014, 15h48

Um atentado contra um cinema em Peshawar, no norte do Paquistão, deixou pelo menos onze mortos e dezoito feridos nesta terça-feira. Três granadas foram lançadas contra o cinema conhecido por projetar filmes com conteúdo pornográfico. Uma das explosões ocorreu dentro do local, enquanto as outras duas foram registradas do lado de fora. O ataque ocorreu pouco antes das 16 horas, pelo horário local, quando um filme estava sendo exibido e haveria cerca de oitenta pessoas no local.

Representante da polícia de Peshawar, Ijaz Ahmed disse que o cinema já vinha recebendo ameaças, o que levou a polícia a sugerir a instalação de detectores de metal na entrada – o que não foi feito. Em 2012, o local foi incendiado após ataques de fúria contra a exibição de A Inocência dos Muçulmanos, um filmeco amador que satiriza Maomé e o islamismo.

Leia também:

‘Professor’ terrorista mata alunos em aula sobre bombas

Continua após a publicidade

Autoridades de Peshawar impedem lançamento do livro de Malala

O atentado desta terça ocorre quase duas semanas depois que outro cinema da cidade foi alvo de explosões que deixaram cinco mortos e dezenas de feridos. O ataque foi feito com granadas lançadas por pessoas que estavam na plateia. Os cinemas costumam ser alvo de grupos radicais que se enfurecem contra o conteúdo anti-islâmico de muitos filmes.

A cidade de Peshawar é a capital da província de Khyber Pakhtunkhwa, uma região fronteiriça a distritos tribais que servem como redutos do Talibã. No caso do ataque desta terça, no entanto, o Talibã negou qualquer responsabilidade. Representantes do governo paquistanês têm conversado com membros do grupo fundamentalista em uma tentativa de dar início a negociações de paz. Uma das condições impostas pelo governo antes de iniciar as conversas era a interrupção das hostilidades.

(Com agência France-Presse)

Publicidade