Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ataques aéreos israelenses deixaram nove funcionários da ONU mortos

Profissionais atuavam em Gaza, segundo agência de notícias AP, e faleceram dentro de suas casas

Por Da Redação
Atualizado em 11 out 2023, 09h22 - Publicado em 11 out 2023, 09h20

A diretora de comunicações das Nações Unidas, Juliette Touma, disse nesta quarta-feira, 11, que nove funcionários da sua agência para refugiados palestinos foram mortos em ataques aéreos a Gaza desde que Israel iniciou a retaliação contra os ataques do Hamas, no sábado 7. Em entrevista à agência de notícias Associated Press, ela reiterou a importância da proteção de civis.

“A proteção dos civis é fundamental, inclusive em tempos de conflito. Eles deveriam ser protegidos de acordo com as leis da guerra”, afirmou.

Touma acrescentou que os funcionários das Nações Unidas morreram dentro de suas casas, e disse que 18 escolas administradas pela agência de refugiados palestinos – que haviam sido transformadas em abrigos – sofreram danos após os bombardeios. A sede da agência na cidade de Gaza também foi danificada, mas não fez vítimas.

+ Israel confirma que Hamas fez reféns brasileiros

Também nesta quarta-feira, o quinto dia de conflito no Oriente Médio, as Forças de Defesa de Israel afirmaram ter feitos novos bombardeios contra Gaza, destruindo alvos ligados ao Hamas. Foram mais de 400 ataques nas últimas 24 horas, sendo ao menos 200 só nesta quarta.

Continua após a publicidade

Autoridades locais, porém, afirmam que diversos alvos civis também foram atingidos. Ao todo, 2.255 pessoas morreram, segundo os dois lados.

+ Funeral de brasileira morta em ataque do Hamas reúne multidão em Israel

Israel afirmou ainda ter conseguido destruir um sistema de defesa desenvolvido pelo Hamas para detectar aeronaves. O grupo terrorista deve enfrentar ainda dificuldades para monitorar ataques na Faixa de Gaza.

Um dos ataques, segundo autoridades do Hamas, atingiu a casa da família de Mohammad Deif, um dos dois líderes militares do grupo terrorista. O bombardeio matou o pai e o irmão de Deif, além de outros dois parentes, mas o paradeiro do próprio Deif segue desconhecido.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.