Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ataque aéreo israelense mata três comandantes do Hamas

Bombardeio perto de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, teve como alvos chefes militares do grupo que participaram do rapto de um soldado de Israel em 2006

Por Da Redação - 21 ago 2014, 06h12

Ataques aéreos de Israel contra uma casa na Faixa de Gaza mataram três comandantes do Hamas nesta quinta-feira. As mortes foram confirmadas pelo próprio grupo radical palestino. Pelo menos outras três pessoas também morreram no bombardeio, que destruiu uma construção de quatro andares perto da cidade de Rafah, no sul de Gaza. Autoridades palestinas indicaram que mais de dez pessoas podem estar presas nos escombros.

Leia também:

Netanyahua promete continuar com ataques em Gaza

Cessar-fogo fracassa e confrontos recomeçam em Gaza

Continua após a publicidade

Segundo o Hamas, os chefes militares mortos são Mohammed Abu Shamaleh, Mohammed Barhoum e Raed al-Attar. De acordo com a rede britânica BBC, os três eram importantes chefes militares do grupo terrorista e tinham funções destacadas na construção de túneis subterrâneos. Além disso, os militantes mortos participaram ativamente no sequestro do soldado israelense Gilad Shalit, raptado em 2006 e trocado cinco anos depois por 1.027 prisioneiros palestinos.

‘Alvos legítimos’ – Os confrontos em Gaza recomeçaram na última terça depois que o Hamas rompeu o cessar-fogo na região ao disparar foguetes contra o território israelense. As negociações de paz no Cairo também foram interrompidas. Na quarta-feira, Israel bombardeou o refúgio de Mohammed Deif, chefe do braço armado do Hamas. O ataque matou a mulher e um filho do militante, mas Deif escapou com vida. Ao comentar o episódio, o premiê israelense Benjamin Netanyahu afirmou que “os líderes de organizações terroristas são alvos legítimos”. Netanyahu também voltou a declarar que a operação em Gaza só vai terminar quando Israel “estiver em segurança”.

Publicidade