Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ataque à embaixada britânica é repreendido por autoridades internacionais

Redação Central, 29 nov (EFE).- Os repetidos ataques de estudantes islâmicos nesta terça-feira à embaixada do Reino Unido em Teerã, onde foram retidos seis membros do pessoal da legação diplomática, motivou uma enérgica crítica internacional.

Grupos de estudantes islâmicos atacaram em três ocasiões nesta terça-feira a embaixada britânica em Teerã, onde arrancaram a bandeira, saquearam a documentação e causaram danos, ao fim de uma manifestação convocada contra o Governo de Londres, com o qual Teerã decidiu diminuir as relações diplomáticas em represália às sanções impostas por Londres.

O Governo britânico condenou imediatamente a ‘inaceitável’ entrada de manifestantes em sua embaixada e seus atos de ‘vandalismo’, e pediu ao Executivo iraniano que defenda os diplomatas.

O Conselho de Segurança da ONU também lamentou ‘nos termos mais enérgicos’ os ataques, expressou ‘sua profunda preocupação’ e exigiu ao Irã que respeite completamente suas obrigações internacionais e garanta ‘a proteção do pessoal e os bens diplomatas e consulares’.

Em poucas horas se uniram a esta condenação países como Estados Unidos, França, Alemanha, Itália e Rússia, que pediram a Teerã garantias que proteja as embaixadas no país.

Além disso, o Ministério de Relações Exteriores britânico aconselhou a todos os britânicos residentes no Irã que ‘permaneçam em suas casas, ajam de maneira discreta e esperem as próximas recomendações’.

Em Washington, a Casa Branca também condenou o ocorrido. ‘Exigimos ao Irã que respeite totalmente suas obrigações internacionais, condene o incidente, leve os responsáveis à Justiça e garanta que não se repitam este tipo de incidentes na Embaixada britânica e em nenhuma outra’, declarou o porta-voz, Jay Carney.

Em Paris, o ministro francês de Relações Exteriores, Alain Juppé, condenou ‘com muita firmeza’ o ataque, que em sua opinião ilustra ‘a pouca consideração’ do regime iraniano pelo direito internacional.

A Alemanha expressou também a sua indignação, incitou o Governo iraniano a proteger os diplomatas e representações estrangeiras e avisou que abordará ‘imediatamente’ com as autoridades do Irã a situação da escola alemã em Teerã, caso tenha sido afetada e para que se garanta sua segurança.

O Governo italiano qualificou o caso como ‘absolutamente intolerável’ e exigiu que as autoridades iranianas ‘retomem o mais rápido possível o controle da situação’. ‘É um episódio muito grave que condenamos firmemente e pelo qual expressamos plena solidariedade ao Governo britânico’,disse o ministro italiano de Exteriores, Giulio Terzi.

A Rússia pediu que as autoridades iranianas restabelecessem a ordem pública na capital.

De sua parte, o Ministério de Relações Exteriores do Irã lamentou ‘o comportamento inaceitável de alguns manifestantes’ na missão diplomática britânica e disse que os fatos aconteceram ‘apesar dos esforços da Polícia e do reforço das medidas de proteção da embaixada’.

‘A República Islâmica do Irã ressalta sua intenção de proteger e preservar os recintos e o pessoal diplomático’, disse a Chancelaria iraniana, que destacou seu respeito pela legislação internacional e pela imunidade do pessoal e dos recintos diplomatas.

A tensão entre Irã e o Reino Unido foi aumentando nos últimos dias depois que na segunda-feira 21 de novembro Londres decidiu suspender todas as transações financeiras com os bancos iranianos, incluindo o Banco Central do Irã, por causa do suposto programa nuclear iraniano. EFE