Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Apresentadoras afegãs são forçadas a cobrir o rosto após ordem do Talibã

Mulheres cederam à ordem do regime depois de pressão de líderes do governo sobre as emissoras

Por Redação Atualizado em 22 Maio 2022, 14h27 - Publicado em 22 Maio 2022, 13h39

As apresentadoras dos canais de televisão do Afeganistão apareceram no ar neste domingo, 22, com o rosto coberto, seguindo uma ordem do Talibã. No sábado, algumas mulheres apareceram com o rosto à mostra, desafiando às ordens do regime. Segundo a BBC, as apresentadoras resistiram, mas foram forçadas a adotar a vestimenta depois que os veículos em que trabalham foram pressionados pelo regime do Talibã.

No início do mês, o chefe do Talibã determinou que as mulheres se cobrissem por inteiro para sair em público, idealmente usando burcas. A regra se estendeu para as apresentadoras nesse sábado, mas algumas delas desafiaram a medida. Depois da recusa em obedecer a ordem, uma autoridade do regime ameaçou os trabalhadores dizendo que conversaria com os superiores para eventuais punições, já que a medida é “final e inegociável.”

Em entrevista à agência de notícias AFP, a apresentadora Sonia Niazi, do canal local TOLO News, relatou que o canal recebeu ordens para que elas sejam transferidas ou demitidas caso não cubram o rosto. “Estamos em um luto profundo hoje”, disse o diretor Khpolwak Sapai em uma postagem no Facebook. Um executivo do ramo, que preferiu não se identificar, relatou à BBC que as mulheres temem que a próxima medida seja tirá-las do ar por completo. “Eles querem apagar as mulheres da vida social e política”, disse à emissora a apresentadora Farida Sial.

Quando retomou o poder, no ano passado, o Talibã alegou que não iria avançar contra os direitos das mulheres. Nas últimas semanas, no entanto, o regime abandonou o discurso “comedido” e tem aumentado suas restrições. Além da obrigatoriedade de cobrir o rosto, já impôs medidas como dias separados para que mulheres visitem os parques públicos, barrou as meninas de frequentarem as escolas depois da sexta série e determinou que os “homens responsáveis” podem ser punidos por infrações do código de vestimenta feminino.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)