Clique e assine com até 92% de desconto

Após extensão do Brexit, moedas comemorativas terão que ser recicladas

Peça que celebra a saída da UE seria vendida a 10 libras e cunhada com a data de 31 de outubro de 2019

Por Da Redação 29 out 2019, 16h54

A Casa da Moeda do Reino Unido produziu cerca de 10.000 moedas comemorativas para celebrar a saída britânica da União Europeia (UE), que ocorreria em 31 de outubro. Porém, com a nova extensão do prazo concedida pelos europeus para o Brexit, o governo teve que voltar atrás e derreter as moedas que já estavam cunhadas.

De acordo com a imprensa britânica, as moedas seriam no valor de 50 centavos e vendidas a 10 libras esterlinas para colecionadores. No verso das moedas, há uma inscrição com as palavras “Paz, prosperidade e amizade com todas as nações” e a data de 31 de outubro de 2019.

Design preliminar da moeda comemorativa de 50 centavos que celebraria o Brexit, o divórcio do Reino Unido da União Europeia, antes da primeira extensão do prazo – 29/10/2019 HM Treasury/Reprodução

Segundo a Casa da Moeda, a mudança nos planos não custará nada porque todo o processo seria feito a partir dos recursos da própria organização. Quanto às moedas já fabricadas, elas serão trituradas e derretidas e o material será utilizado em outros produtos.

  • Mas essa não é a primeira moeda comemorativa já lançada pelo Reino Unido. Desde que o país decidiu deixar a UE, sempre que o prazo final do Brexit se aproxima, a Casa da Moeda se prepara para fazer uma edição especial do divórcio. Como já foram pedidos três adiamentos, todas as moedas fabricadas anteriormente tiveram que ser recicladas também.

    Quando a conservadora Theresa May ainda era primeira-ministra, a Casa da Moeda planejara a peça comemorativa com a mesma frase e a data de 29 de março de 2019, dia do primeiro prazo final para o acordo entrar em vigor.

    Nesta segunda-feira 28, a UE concedeu mais uma prorrogação ao Reino Unido, para que o país possa se preparar melhor para a saída do bloco. A expectativa agora é que os britânicos concretizem o divórcio em 31 de janeiro.

    Continua após a publicidade
    Publicidade