Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Apoiadores do EI comemoram tiroteio em Munique

A polícia de Munique afirmou que, por enquanto, não há "indícios de um atentado islamita"

Por Da redação Atualizado em 22 jul 2016, 17h33 - Publicado em 22 jul 2016, 17h10

Apoiadores do grupo militante Estado Islâmico comemoraram nas redes sociais os ataques cometidos por três homens armados dentro e nos arredores de um shopping center de Munique, cidade do sul da Alemanha, nesta sexta-feira. O atentado deixou ao menos oito mortos e diversos feridos.

“Graças a Deus, que Deus leve prosperidade aos nossos homens do Estado Islâmico”, dizia um tuíte em árabe em uma conta que frequentemente exalta o grupo terrorista. “O Estado Islâmico está se expandindo na Europa”, afirmava outro tuíte em árabe em outro perfil conhecido por seu apoio aos extremistas.

LEIA MAIS:
Polícia alemã registra múltiplos tiroteios em Munique
Vídeo mostra momento em que atirador abre fogo em Munique

Uma testemunha afirmou à rede CNN ter ouvido o atirador mirar em crianças ao atirar, enquanto gritava “Allahu Akbar” (Alá é Grande). Por outro lado, algumas testemunhas relataram ter ouvido um atirador gritar “estrangeiros de merda” e “eu sou alemão!” durante o tiroteio, de acordo com o jornal Bild.

A polícia de Munique afirmou que, por enquanto, não há “indícios de um atentado islâmico” no ataque ocorrido na capital bávara. As autoridades bávaras ativaram o alarme antiterrorista para dispor assim de todos os efetivos possíveis das diferentes forças de segurança, segundo advertiu um porta-voz policial.

O ataque em Munique foi o terceiro grande ato de violência contra alvos civis na Europa em oito dias. Atentados prévios na França e na Alemanha foram assumidos pelo Estado Islâmico, e a polícia de Munique disse suspeitar que a ação mais recente tenha sido um ataque terrorista. No início da semana, um afegão de 17 anos refugiado na Alemanha feriu quatro passageiros com uma faca e um machado dentro de um trem, também na região da Baviera. O Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque.

(Com EFE e Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade