Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Seis bons bares para tomar drinques em Salvador

Endereços foram selecionados por VEJA COMER & BEBER SALVADOR 2019/2020

Por Daniel Salles, Ana Geisa Lima, Camila Botto, Joana Maltez, Maiana Brito, Mariani Campos e Marília Simões - Atualizado em 4 dez 2019, 01h01 - Publicado em 4 dez 2019, 00h01

Blue Praia Bar

O forte deste bar, encravado nas pedras que dão acesso à badalada Praia do Buracão, são os drinques como o bali, feito com gim, água tônica, Angostura, alecrim e canela (R$ 23,90). Entre um brinde e outro, dá para provar o camarão empanado na tapioca (R$ 36,90, seis unidades). Rua Barro Vermelho, 310, Praia do Buracão, Rio Vermelho, ☎ 3034-3054 (120 lugares). 10h/18h (sex. e sáb. até 23h). Aberto em 2014.

Bombar

Conta com pista de dança na área superior e mesas na parte de baixo. Na carta de drinques, um dos destaques é o chamado número 3, com gim, caju, hortelã e água tônica (R$ 23,00). Para acompanhar, há tira-gostos como o charuto feito com peito de frango selado na chapa com creme de queijo e enrolado na massa de harumaki, servido com redução de maracujá e manteiga queimada (R$ 32,00, seis unidades). Rua Canavieiras, 24, Rio Vermelho,99988-0456 (100 lugares). 20h/2h (sex. e sáb. até 4h; fecha seg. a qua.). Aberto em 2018.

Publicidade

Chupito

As mais de quarenta opções etílicas incluem chupitos, os aperitivos servidos em copos de dose, com cerca de 60 mililitros. As bebidas estão divididas em categorias — entre os drinques fracos, o mais popular é o número 1, feito com Aperol, espumante e laranja (R$ 6,00). Já no rol dos fortes, o mais solicitado é o número 22, uma mescla de licor de café, Baileys e uísque (R$ 12,00). Rua da Paciência, 68, Rio Vermelho,99125-3958 (80 lugares). 20h/2h (sex. e sáb. até 3h30; dom. até 1h; fecha seg. e ter.). Aberto em 2016.

Kawai Poke

Com inspiração havaiana, serve drinques refrescantes como o kawai mule, mistura de vodca, suco de limãotaiti e abacaxi finalizada com espuma de gengibre (R$ 21,00). Para comer, tem o poke ohana ocean style, que leva salmão e atum frescos, camarão cozido, manga e base de arroz japonês (R$ 38,00). Rua Ilhéus, 241, Rio Vermelho,3016-1411 (100 lugares). 18h/0h (fecha seg.). Aberto em 2017.

Publicidade

Larribar (campeão de 2019)

Lançada em junho, quando o bar completou dois anos, a carta de drinques espelha a maturidade do endereço e a confiança na cultura da coquetelaria em Salvador. “No início, tinha certo receio de fugir dos clássicos e ser rejeitado pela clientela local”, conta Gabriel Guerra, o dono, que atua como head bartender. “Agora me sinto à vontade para ser inventivo, embora ainda considere meu balcão uma escola para quem está começando a tomar coquetéis.” Da carta atual, dezenove receitas levam a assinatura dele. A mais chamativa junta rum Kraken Black Spiced, limão, aipo e bitters aromáticos (R$ 30,00). O nome, release the kraken, é explicado pela garrafinha de vidro na qual o coquetel é despejado e Gabriel queima, com a ajuda de uma pinça, um bastão de canela — a tampa mantém a fumaça presa. Outra boa novidade, o coquetel mr. tangerine man combina gim Tanqueray London Dry, limão, infusão de cravo e licor artesanal de tangerina (R$ 27,00). As sete variações do gim-tônica continuam a vender como água, principalmente a chamada frutitas, união de gim Bombay Sapphire, amora, limão-siciliano e chá de frutas vermelhas (R$ 28,00). O sucesso do LarriBar, derivado do restaurante Larriquerrí, da mãe do proprietário e localizado na mesma rua, faz com que as quinze banquetas estejam todas ocupadas cada vez mais cedo. O jeito é encontrar um espacinho para bebericar de pé — a meia-luz, o acanhado endereço é praticamente todo tomado pelo balcão de cimento. Para driblar a fome, a cozinha expede acepipes como ceviche de abacate com chips de coco (R$ 25,00) e trouxinhas de carpaccio com recheio de queijo branco e cobertura de pesto e parmesão (R$ 13,00, duas unidades). Praça Alexandre Fernandes, 160, Garcia, ☎ 3263-5632 (15 lugares). 18h30/0h30 (sex. e sáb. até 1h; fecha dom. a ter.). Aberto em 2017.

Pitaya Drink

Bar instalado em um espaço ajardinado, tem uma carta que reúne doze coquetéis autorais. Um deles resulta da mistura de gim Beefeater, coulis de pitaia, suco de limão e espuma cítrica (R$ 25,00). Outra receita, batizada de tá criando peixe, é servida em um copo que lembra um aquário, leva curaçau blue, abacaxi, rum de coco Malibu e vem com um peixinho de plástico (R$ 19,00). Na seção de comes, o cardápio lista entradinhas para compartilhar, caso do nhoque frito acompanhado de molho pesto e geleia de pimenta (R$ 22,00). Rua Professor Cassilandro Barbuda, Galeria 139, Costa Azul, 99380-7773 (80 lugares). 18h/0h (dom. 17h/22h; fecha seg.). Aberto em 2019.

Publicidade

Quer conhecer todos os campeões de VEJA COMER & BEBER e o roteiro completo de comidinhas, bares e restaurantes em Salvador? Clique aqui.

Publicidade