Clique e assine a partir de 9,90/mês

O melhor açaí do Rio de Janeiro é do ASA Açaí

Fruto colhido e processado no mesmo dia no Pará, que por aqui recebe um toque de açúcar orgânico, exibe consistência leve e aveludada

Por Pedro Tinoco - 20 Jul 2019, 01h00

No Rio, capital mundial das lojas de suco, negócios de alimentação saudável costumam ser bem acolhidos. O açaí, popular na Região Norte, chegou há tempos e ficou, mas, adaptado ao gosto carioca, ganhou jeitão de milk-shake. No ASA (Ação Sustentável da Amazônia), o fruto do açaizeiro, típico do Pará, tem tratamento vip, fiel às suas características originais. Em sua terra natal, é colhido manualmente e processado no mesmo dia em uma fábrica na cidade de Barcarena (PA). A polpa de alta concentração e derivados de mandioca, de cacau e castanhas oriundos da agrofloresta familiar viajam nas melhores condições para abastecer a cozinha da marca, na Rua Sacadura Cabral, além da robusta rede de distribuição e delivery. Na loja própria, um sobrado de pé-direito alto e ar refrigerado eficiente, o bowl com 350 gramas de açaí de consistência leve, aveludada, e com toque de açúcar orgânico (R$ 18,50), acompanhado de 60 gramas de granola da casa (R$ 5,00), resulta em uma refeição completa. Mesmo. “Nossa granola, com treze ingredientes, foi desenvolvida por nutricionistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro para, com o açaí, garantir a porção de nutrientes determinada pela FAO, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura”, explica o geógrafo João Hermeto, sócio do administrador Thomaz Falcão na empreitada. Hermeto, filho de Ana Castilho, dona do restaurante Aprazível, é o desbravador da dupla. É ele quem faz os contatos com cooperativas e produtores familiares, acompanhando o processo desde a colheita, atrás do terroir de itens como a goma de tapioca de Acará, a farinha-d’água de Irituia ou as castanhas de Tailândia, todas cidades paraenses. Na loja, além de variações em torno do açaí (tem até sorbet; R$ 11,00, 180 mililitros), pratos regionais como o caranguejo catado com arroz de jambu, farofa de farinhad’água e banana (R$ 42,00) e a galinha ao tucupi, guarnecida de beiju de tapioca, jambu e farinha-d’água (R$ 29,00), são sugestões do concorrido almoço. Passe lá. Rua Sacadura Cabral, 79, Saúde, 2263-9094 (35 lugares). 11h30/18h (fecha sáb. e dom.). Aberto em 2016. Aqui tem iFood.

2º lugar – Tacacá do Norte

O público se acomoda diante do balcão em “U” e encontra pedidas típicas da Região Norte, como o açaí legítimo (R$ 21,00, 400 mililitros), que só leva xarope de guaraná quando o cliente insiste. Outra estrela local é a unha de caranguejo, salgado com a carne do crustáceo empanada (R$ 10,00). Sucos de cupuaçu, graviola, bacuri (R$ 12,00, 400 mililitros) e opções mais robustas, como o tacacá (caldo com goma de mandioca, tucupi, camarão e jambu; R$ 27,00), também fazem sucesso. Rua Barão do Flamengo, 35, loja R, Flamengo, 2205-7545 (15 lugares). 9h/23h (dom. até 21h). Aberto em 1973.

3º lugar – Bibi Sucos

Continua após a publicidade

Na lista com mais de quarenta tipos de suco, a rede inclui criações próprias de sucesso, como a mistura de cacau com morango (R$ 13,30, 500 mililitros). Também tem seus fãs o milk-shake de café (R$ 17,20, 300 mililitros). O menu de comidinhas traz dicas para qualquer hora do dia, do açaí na tigela (R$ 17,10) ao hambúrguer farol (blend de carne angus de 200 gramas, queijos prato e brie e geleia de damasco; R$ 37,90). Rua Jardim Botânico, 632, loja A, Jardim Botânico, 3874-0051 (46 lugares). 8h30/1h; Rua Olegário Maciel, 440, lojas A e B, Barra, 2493-3000 (56 lugares). 8h/1h. Mais dez endereços. Aberto em 1964. Aqui tem iFood.

Publicidade