Clique e assine a partir de 9,90/mês

Conheça restaurantes em Goiânia com tradicionais pratos brasileiros

Há arroz nordestino, carne de sol e outros saborosos pratos típicos

Por Daniella Barbosa, Eula Lôbo, Thalys Alcântara, Taynara Borges e Thiago Rabelo - 14 jan 2019, 23h55

Carne de Sol Caicó

O prato que dá nome à casa é, na verdade, uma carne serenada, salgada antes de passar por 24 horas de maturação em câmara fria. Acompanhado de arroz de leite, feijão verde, paçoca de pilão, mandioca cozida, vinagrete e manteiga do sertão (R$ 115,00, para quatro pessoas), inspira outras ofertas do cardápio, preparadas da mesma forma. Entre elas, a picanha de sol (R$ 127,00, para quatro pessoas). Também há self-service (R$ 43,90; nos fins de semana e feriados, R$ 53,90). São sessenta itens, como a guariroba no açafrão, a língua ao molho madeira e o vatapá de galinha caipira com camarão. O pudim de leite condensado, a trufa de morango e a ambrosia são as sobremesas mais queridas. Rua 140, 137, Setor Marista, ☎ 3942-3448 (200 lugares). 11h/15h (sáb. e dom. até 15h30). Aberto em 1981. Aqui tem iFood. $

Caseratto

O arroz nordestino (R$ 69,90, para duas pessoas), servido em uma panela de ferro, leva carne seca, queijo de coalho, cebola-roxa, manteiga do sertão, ervas finas e banana frita. Novidade, o macarrão de comitiva (R$ 84,90, para quatro pessoas) se apresenta de modo típico, sobre um disco de arado, e contém carne de sol, tomate, cebola, pimenta- do-reino, palmito, lombo e crispy de porco. De sobremesa, a sugestão é o churro de banana (R$ 14,90), acompanhado de uma bola de sorvete de creme. Rua 1131, 755, Setor Marista, ☎ 3991-0291 (60 lugares). 17h/0h (sex. e sáb. 12h/1h; dom. 12h/23h; fecha seg.). Aberto em 2016. $$

Chão Nativo 1

Com foco na culinária goiana de raiz, o restaurante não abre mão do preparo no fogão a lenha. Torresmo, almôndegas, arroz com pequi, frango caipira, carne de lata, guariroba e outros clássicos estão no bufê. De segunda a sexta, o valor é R$ 58,90, o quilo, ou R$ 51,90, à vontade, com sobremesa e licores. Delícias como ambrosia, pé de moleque, canjica, doce de figo e outros também ficam dispostas no balcão. Aos sábados, domingos e feriados, o cliente paga R$ 63,90 no quilo ou R$ 55,90 para se fartar. Para refrescar, os clientes costumam se dividir entre o chope Devassa (R$ 7,20, 300 mililitros) e o suco de laranja (R$ 5,60). Mas não no sábado, quando a caipirinha é cortesia da casa. Avenida República do Líbano, 1809, Setor Oeste, ☎ 3223-5396 (200 lugares). 11h/15h30. Aberto em 1996. Aqui tem iFood. $$

Chão Nativo (Setor Bueno)

Continua após a publicidade

A tradicional casa de comida regional preserva o sabor do interior. De seu fogão caipira saem galinhada, pequi, feijão-tropeiro e tabuleiro com o leitão à pururuca, entre outros pratos. São cerca de cinquenta opções quentes e mais umas vinte de salada. O sistema adotado é o bufê. De segunda a sexta, o cliente paga R$ 34,90 (nos fins de semana e feriados, sobe para R$ 36,90) e se serve à vontade. Estão inclusos doces como a ambrosia, feita com ovos caipiras e leite da fazenda. Para beber, o moruva , suco com morangos mais polpa de uva, custa R$ 6,50. Avenida T-11, 299, Setor Bueno, ☎ 3241-2266 (260 lugares). 11h/15h (sáb. e dom. até 15h30). Aberto em 1998. Aqui tem iFood. $$

Fogão Caipira

Dedicado às receitas locais, o restaurante foge do modelo de bufê dos concorrentes e mantém os pratos à la carte, tanto no almoço como no jantar. O campeão de audiência é o peixe na telha, o pintado em postas cozido acompanhado de pirão, servido borbulhando à mesa (R$ 98,00, para duas pessoas). O pequi, célebre fruto do cerrado, surge com pompa na galinhada (R$ 35,00, para uma pessoa). Para acrescentar guariroba, o palmito nativo, pagam-se mais R$ 3,00. O chope Baden Baden chega na caneca (R$ 9,50, 400 mililitros). A salada mista, com alface, tomate, pepino, cenoura, batata cozida, ovo cozido, beterraba, palmito e azeitona, custa R$ 38,00 e serve duas pessoas. Avenida Henrique Silva, 570, Setor Sul, ☎ 3218-2104 (280 lugares). 11h/15h e 18h/0h (sáb., dom. e feriados sem intervalo). Aqui tem iFood. $$

Jerivá

Conhecida desde os anos 1970 como parada da BR-060, na rota para Brasília, a marca também está presente dentro da capital goiana desde o fim da década de 90. Além de restaurante e lanchonete, funciona como empório, onde se vendem produtos como o pote de doce de leite (R$ 10,90 o pequeno e R$ 17,90 o grande). Na linha de salgados, o empadão jerivá traz frango, milho, azeitona e queijo (R$ 9,75 a unidade). De pamonha (R$ 6,75), há salgada, doce e à moda, com linguiça. Durante o dia, ao redor de trinta pratos quentes e vinte opções de salada acompanham o arroz e feijão, servidos em panela de ferro. De produção própria, o frango caipira e a linguiça suína se destacam. O valor do quilo da refeição passa de R$ 47,90 de segunda a sexta para R$ 53,90 no fim de semana. Shopping Flamboyant, Jardim Goiás, ☎ 3235-8014 (150 lugares). 9h30/22h30 (dom. 11h/22h); Shopping Passeio das Águas, Jardim Diamantina, ☎ 3235-8016 (280 lugares). 10h/22h30 (dom. 11h/22h). Aberto em 1998. $

Mau Nenhum

O ambiente, que lembra uma fazenda repleta de artefatos rurais, de tachos de cobre a rodas de carro de boi, prepara o visitante para o mergulho na culinária do estado. O valor do quilo salta de R$ 41,99 de segunda a sexta para R$ 51,99 no fim de semana. No bufê, o cliente encontra frango caipira, pequi, guabiroba, peixes de água doce e outros itens indispensáveis na refeição local. Toda a comida é preparada no fogão a lenha. São cerca de setenta tipos de salada e outros acompanhamentos, como arroz e lasanha. Da churrasqueira, saem picanha, linguiça caseira e cupim ao molho de alho, uma das especialidades da casa. Como sobremesa (R$ 51,99 o quilo), a ambrosia e o pudim de leite sempre estão disponíveis. Rua T-36, 3569, Setor Bueno, ☎ 3255-0939 (550 lugares). 11h30/14h30 (sáb., dom. e feriados até 15h30). Aberto em 1990. $

Continua após a publicidade
Publicidade