Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chico Dedê é eleito o bar revelação de Belo Horizonte em 2019

Os sabores mineiros são os protagonistas no cardápio deste endereço premiado pelo júri de VEJA COMER & BEBER pela primeira vez

Com mais de duas décadas de experiência entre fogões e caçarolas, André Paganini já deu aulas de gastronomia e chefiou a cozinha de um hotel antes de se aventurar em uma empreitada mais boêmia. Em parceria com os sócios Viviana Volponi e Felipe Pellicer, abriu um boteco alicerçado em um caprichado cardápio de sabores regionais. As receitas homenageiam as raízes mineiras do chef, mas sempre com um toque criativo. Entre as especialidades da casa estão o tempurá de quiabo (R$ 24,00 a porção), que envolve o vegetal em uma casquinha crocante e vem ao lado de molho tonkatsu, e o pastrami de língua bovina cortado finamente, servido sob purê de tomate em companhia de brioche (R$ 28,00). A campeã de pedidos, porém, é a barriga de porco pururuca, que é cozida em baixa temperatura, leva seis horas para ficar pronta e chega à mesa tenra e suculenta, coberta com pele crocante. Com escolta de uma conservinha de gengibre e limão, o tira-gosto sai por R$ 20,00. Quem quiser ir além dos petiscos poderá provar o mexidinho que combina arroz, feijão, rabada desfiada e é guarnecido de farofa de biju, ovo frito e agrião (R$ 39,00). Para matar a sede, o drinque da casa, batizado de limão do engenho, é bem refrescante, preparado com limão-siciliano e taiti, limoncello, gim Yvy mais rapadura (R$ 25,00). E, para seguir no clima mineirinho, há boa seleção de cervejas artesanais do estado, caso das pilsen Vinil Almanaque (R$ 12,00, 500 mililitros) e Brüder (R$ 11,00, 600 mililitros). Rua Francisco Deslandes, 436, Anchieta. Não tem telefone (96 lugares). 17h/0h (sáb. e dom. 11h/18h; fecha seg.). Aberto em 2018.

2º lugar: Bolota’s Bar

Um imóvel de esquina, com decoração simples e serviço descontraído, abriga o bar de Leonardo Oliveira Ribeiro, o Bolota. Entre os petiscos expostos na estufa, o carro-chefe é um bolinho achatado elaborado com uma mistura de carnes bovina e suína (R$ 4,00 a unidade). Para completar, todo dia a cozinha prepara um prato diferente: às sextas-feiras, tem rabada com agrião (R$ 15,00). Para acompanhar, são imbatíveis as cervejas de garrafa, sempre geladíssimas (Brahma e Skol saem a R$ 8,00 cada uma, enquanto a Heineken é vendida por R$ 11,00). Rua Capivari, 433, Serra,98552-1011 (80 lugares). 15h/0h30 (sáb. e dom. a partir de 11h; fecha seg.). Aberto em 2018.

3º lugar: Herbário YVY

No revitalizado Mercado Novo, opera desde o início do ano o bar da destilaria YVY. O público faz o pedido direto no balcão e se acomoda em bancos e pallets nos corredores para bebericar drinques “on tap” — combinações prontas que jorram de oito torneiras. Os coquetéis elaborados pelo bartender Thiago Ceccoti são trocados a cada três meses, mas algumas opções são bastante procuradas pelos frequentadores do local. O tangerito é um coquetel carbonatado com gim, suco de tangerina clarificado e óleo essencial de hortelã e custa R$ 20,00. Apesar de não servir petiscos, se a fome bater, basta recorrer aos estabelecimentos vizinhos. Avenida Olegário Maciel, 742, centro. Não tem telefone. 18h/0h (sáb. a partir de 12h; dom. 12h/18h; fecha seg. e ter.). Aberto em 2019.