Clique e assine a partir de 9,90/mês

Zebra na Rio-2016: Djokovic chora o fim do sonho olímpico

Número 1 do mundo, sérvio perde para o argentino Del Potro na primeira rodada do torneio masculino de tênis: "Foi uma das mais duras derrotas da minha vida"

Por Leslie Leitão e Thiago Prado - Atualizado em 8 ago 2016, 00h02 - Publicado em 7 ago 2016, 23h28

Foi um pesadelo que se repetiu. O gigante fantasma argentino de quatro anos atrás reapareceu. Juan Martin Del Potro, o homem que havia lhe tirado a medalha de bronze em Londres aprontou outra vez. E agora de maneira mais surpreendente. Com uma atuação espetacular, o tenista número 141 do ranking mundial eliminou o sérvio Novak Djokovic, número 1, por 2 sets a 0 (7/6, 7/6), na primeira rodada do torneio olímpico de tênis da Rio-2016. Ainda na quadra, Djoko não segurou as l��grimas com o inesperado e precoce fim do sonho da medalha de ouro, um dos poucos títulos que ainda não fazem parte de sua coleção de 66 troféus.

“Me senti como se estivesse no meu país. Eles me deram força, mas não deu. Não é a primeira vez que perco um jogo de tênis, mas Olimpíada é diferente. Com certeza é uma das mais duras derrotas da minha carreira”, disse Djokovic, que mesmo cabisbaixo após a derrota atendeu os jornalistas pacientemente na zona mista.

O próprio argentino, que obteve uma vitória fantástica e dramática após se recuperar de uma lesão no joelho, se sensibilizou com o choro de seu, pode-se dizer assim, freguês olímpico. “Fiquei tocado com o choro do Djoko. Respeito muito ele, fizemos uma partida espetacular, mas foi uma noite de sonho para mim”, disse Del Potro.

Resultados – A precoce eliminação de uma das maiores estrelas da Olimpíada é um balde de água fria, em especial, nos amantes de tênis. Isso porque, uma semana antes da competição começar, outro ídolo, o suíço Roger Federer, machucado, anunciou que não viria mais. Quem pagou até 1 000 reais no ingresso da final espera agora que aos menos as outras duas estrelas que restam cheguem lá. Mais cedo, o britânico Andy Murray venceu o sérvio Viktor Troicki (6/3, 6/2), enquanto o espanhol Rafael Nadal derrotou o argentino Federico Delbonis por 6/2 e 6/1.

Publicidade