Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sem Belfort, MG poderá ter primeiro ‘mico’ do UFC no Brasil

Depois da transferência de Anderson x Sonnen para Las Vegas, evento em BH perde apelo com cancelamento da revanche entre Belfort e Wanderlei, no dia 23

Dana White e sua equipe devem anunciar nesta semana qual será o futuro do próximo UFC no Brasil

O terceiro UFC no Brasil em menos de um ano, marcado para o dia 23 de junho, em Belo Horizonte, teve mais uma baixa neste fim de semana: Vitor Belfort lesionou a mão esquerda e deu início a uma recuperação que deve demorar cerca de dois meses. Resultado: o evento custará a atrair e empolgar os fãs de MMA. Depois de perder a revanche entre Anderson Silva e Chael Sonnen para Las Vegas, a noitada de MMA fica também sem o confronto entre os treinadores do primeiro reality show The Ultimate Fighter realizado fora dos Estados Unidos. O evento amarga, assim, o risco de enfrentar um fracasso de público, já que haverá poucos atrativos no card.

Leia também:

Leia também: Por que o UFC quer mudar seus campeões de categoria?

Os organizadores do UFC deverão ter problemas para conseguir um substituto para Belfort a menos de um mês do combate contra Wanderlei Silva. O UFC ainda não divulgou se Wanderlei terá um novo adversário ou se o combate será adiado por alguns meses. Pela proximidade da luta, o mais provável é que o duelo aconteça em uma nova data, por causa da dificuldade em encontrar um lutador que aceite desafiar o ex-campeão do Pride com tempo tão curto de preparação. Outra solução seria convidar um atleta que já esteja treinando para outra edição do torneio. Dana White e sua equipe devem anunciar nesta semana qual será o futuro do próximo UFC no Brasil.

Leia também:

Leia também: Anderson que se cuide – lutador fora de ritmo vira alvo fácil

Lesão no treino – Sofrer uma lesão no treinamento, como ocorreu com Belfort, é relativamente comum no MMA. Incomum, porém, é ter uma contusão que impeça a participação numa luta. Preparadores físicos de lutadores de alto nível costumam brincar que é raríssimo o atleta conseguir entrar no octógono sem sentir nenhuma dor. Exemplo disso é o próprio Júnior Cigano, que conquistou o cinturão contra o americano Cain Velasquez lutando com dores no joelho. Dias depois, precisou operar a região. Os treinos são puxados e testar novas habilidades pode ser um risco – como no caso de Vitor Belfort, que machucou o punho esquerdo após desferir um forte soco durante um treinamento. Na manhã desta segunda, Wanderlei Silva usou seu twitter para provocar Vitor Belfort e duvidou da lesão do carioca. “Ninguém treina tão duro ao ponto de socar forte para quebrar a mão. Usamos os melhores equipamentos: luva, gel, bandagem. Acho que ele amarelou”, disse Wanderlei, para depois completar: “Se estava com medo, não aceitasse a luta. Como ficam os fãs de verdade? Se quebrou mesmo a mão, é muito amadorismo”. Logo em seguida, Vitor respondeu, também pelo Twitter. “O desequilíbrio emocional de uma pessoa revela seus medos. Confiança não é arrogância. Permaneço confiante e mantenho respeito com o meu adversário, pois agora a luta é contra minha lesão.” Leia também: Júnior Cigano bate Frank Mir e mantém cinturão do UFC

UFC: a dupla personalidade de Sonnen, cretino profissional