Clique e assine com 88% de desconto

Ronaldo e Neto trocam baixarias pelo Twitter

'Fenômeno' acusa ex-jogador de viver explorando ligação com o Corinthians e lembra briga com juiz. Comentarista rebate citando episódio com travestis

Por Leo Pinheiro - 6 fev 2011, 09h58

“Eu, que nunca fui 1% de você, assinava contrato em branco. Eu jogava por amor. Casagrande, Sócrates, Wladimir, Rivelino, Viola jogavam por amor. Para de conversa fiada, vai!”, escreveu Neto

A novela da discussão entre Ronaldo e o comentarista Neto ganhou mais alguns capítulos neste final de semana. Após as violentas manifestações de vândalos no Centro de Treinamento do Clube, em São Paulo, neste sábado, o Fenômeno começou a protestar contra parte dos torcedores do Corinthians através de seu Twitter. Teve, em seguida, resposta imediata do ex-jogador.

Primeiro, Ronaldo fez mea culpa, dizendo-se decepcionado com a atuação do time nos dois jogos da pré-Libertadores e disposto a tirar o time da fase ruim. Logo em seguida, porém, o centroavante partiu para o ataque condenando a violência de, segundo ele, uma minoria dos corintianos.

O jogador se empolgou e começou a criticar aqueles que pedem a sua aposentadoria e o chamam de mercenário. “Pensei muito nesses últimos dias sobre antecipar a minha aposentadoria, mas não vou dar esse gostinho a esses vândalos e críticos”, escreveu, dando resposta a Neto. O bate-boca virtual, no entanto, começou quando Ronaldo escreveu que jogava “por amor” e “não precisava estar passando por aquela situação”.

Publicidade

O comentarista, que há dias pede a saída de Ronaldo do Timão pela televisão, contra-atacou e duvidou do amor à camisa exaltado por Ronaldo. “Eu, que nunca fui 1% de você, assinava contrato em branco. Eu jogava por amor. Casagrande, Sócrates, Wladimir, Rivelino, Viola jogavam por amor. Para de conversa fiada, vai!”, rebateu Neto, demonstrando irritação.

Daí para frente a lavagem de roupa suja não parou. “Eu aceito qualquer crítica pacífica ao meu desempenho e do time. Mas não vou responder a ex-jogador aproveitador. Que vive até hoje com a imagem ligada ao clube, implorando para fazer evento em loja oficial. Muito menos para gente irresponsável que incentiva a violência e que cospe nos outros”, replicou o jogador, fazendo referência a um episódio de 1991, quando Neto cuspiu no rosto do árbitro José Aparecido de Oliveira, após ser expulso por entrada violenta, durante a derrota por 2 a 1 do Corinthians para o Palmeiras.

Neto devolveu. Primeiro, comparando a passagem dos dois pelo Corinthians: “Eu sempre fui e vou morrer corintiano. A minha missão no Timão foi cumprida. Levei ao primeiro Brasileiro. E você?”. Em seguida, fez piada com a sexualidade do jogador: “Do mesmo jeito que você não fala com quem cuspiu em juiz, eu também não falo mais com quem entrou no motel com três travecos”, esbravejou Neto em seu post final.

Publicidade