Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Provável ida de Ganso à seleção anima Felipe Anderson

Por Sanches Filho

Santos – De volta aos treinos no Santos depois de defender a seleção brasileira Sub-20 em torneio internacional disputado na Argentina, o meia Felipe Anderson afirmou nesta quarta-feira que está confiante de que poderá iniciar uma boa fase com a camisa do clube. O jogador já projeta uma possível sequência de partidas na equipe titular com a provável convocação de Paulo Henrique Ganso para a seleção olímpica, que terá uma lista final de 18 jogadores convocados por Mano Menezes nesta quinta, visando a disputa dos Jogos de Londres.

Coso a convocação do titular se confirme, o meio-campista de apenas 19 anos espera justificar a condição de promessa do Santos durante este período olímpico no Campeonato Brasileiro, no qual a equipe voltará a atuar no próximo domingo, às 16 horas, contra o Grêmio, na Vila Belmiro.

“Vejo (a ida de Ganso para a seleção) como uma oportunidade de buscar meu espaço. Tive muitas oportunidades, mas ainda não mostrei o que posso”, afirmou Felipe Anderson, que em seguida prometeu: “Vou trabalhar mais forte do que estava trabalhando para buscar meu espaço no Santos, sempre respeitando os companheiros”.

O jogador também garante conviver naturalmente com o fato de ser frequentemente cobrado pelo técnico Muricy Ramalho, que aponta a necessidade de o meio-campista exibir mais dedicação nos treinos e personalidade nos jogos da equipe.

“Vejo isso como um ânimo a mais. E me convenço de que não estou fazendo as coisas direito. Ele (Muricy) é muito experiente e se está falando, é porque estou fazendo errado mesmo”, admitiu, lembrando que a cobrança significa que o comandante aposta no seu futebol. “É um estímulo para trabalhar mais e fazer o certo. Se ele fala, é porque vê potencial em mim”, acrescentou.

E Felipe Anderson garante que está pronto para ser versátil e desempenhar mais do que uma função para conseguir ter uma sequência no time santista. “Aonde o técnico me colocar, seja de lateral, volante ou goleiro, vou me esforçar ao máximo para ser opção para ele”, disse, antes de admitir que precisará atuar mais como um autêntico atacante se quiser ter espaço na equipe. “Sempre joguei pelo meio. Todos me falavam que jogava como o Ganso, mais centralizado. Mas Muricy me vê mais como ponta, caindo pelos lados. E eu respeito bastante a opinião dele.”