Clique e assine com até 92% de desconto

Promotor do GP do Brasil afirma que corrida permanecerá em 2017

Tamas Rohonyi diz que a corrida do Circuito de Interlagos continuará no calendário, "mas algumas definições necessitam ser consideradas"

Por Da Redação 13 nov 2016, 11h49

O promotor do GP do Brasil de Fórmula 1, Tamas Rohonyi, afirmou neste domingo que a corrida do Circuito de Interlagos, em São Paulo, continuará no calendário da próxima temporada, apesar da perda recente de importantes patrocinadores. “O nosso circuito com segurança vai permanecer no calendário, mas algumas definições necessitam ser consideradas”, ressaltou Rohonyi.

O promotor disse que “tudo é possível”, mas pessoalmente acredita que o Grande Prêmio do Brasil será disputado no próximo ano “sem grandes problemas”, já que há um contrato vigente até 2020 com a Formula One Management (FOM), empresa que administra o Mundial de F1.

A postura de Rohonyi contrasta com a mantida pelo diretor-executivo da FOM, o britânico Bernie Ecclestone, que manteve no ar a realização do evento em 2017.

  • A corrida deste ano, que será realizada no circuito de Interlagos, em São Paulo, gerará perdas de 30 milhões de dólares devido à saída de importantes patrocinadores como Petrobras e Shell, segundo disse Rohonyi recentemente. Também estão previstas perdas para os próximos anos, embora de menor envergadura, já que oscilariam entre os 3 e 5 milhões de dólares, acrescentou.

    Alguns dos pilotos mais importantes do grid se mostraram favoráveis à continuidade da corrida brasileira que viu coroar campeões do tamanho do espanhol Fernando Alonso, do finlandês Kimi Raikkonen e dos britânicos Lewis Hamilton e Jenson Button. “Não sei como vai ser, mas estou consciente da batalha que têm com a economia. Mesmo assim, este é um Grande Prêmio que tem que permanecer no calendário”, disse Hamilton em entrevista coletiva após conseguir a ‘pole’ no sábado em Interlagos.

    (com Agência EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade