Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pedido ‘obsceno’ melou ida de Neymar ao PSG

Além de 40 milhões de euros anuais de salário, atacante brasileiro queria que clube francês liquidasse sua dívida fiscal de mais de R$ 150 milhões

Por da redação - Atualizado em 25 out 2016, 10h44 - Publicado em 25 out 2016, 10h41

O catariano Nasser Al-Khelaifi, dono do Paris Saint-Germain, é conhecido por não medir esforços nas janelas de transferências e não esconde de ninguém que seu maior desejo é levar Neymar para o clube francês. No entanto, nem mesmo a fortuna e o poder de persuasão do excêntrico milionário foram capazes de satisfazer os desejos do atacante brasileiro do Barcelona. O jornal francês L’Équipe revelou nesta terça-feira que Neymar fez uma série de exigências, incluindo um “pedido obsceno”, que impossibilitaram a negociação com o PSG.

Jornal francês estampou a "história secreta" da negociação de Neymar
Jornal francês estampou a “história secreta” da negociação de Neymar Reprodução

De acordo com a publicação, o PSG estava disposto a pagar a cláusula rescisória de Neymar – que antes da renovação fechada este mês era de 190 milhões de euros (cerca de 645 milhões de reais) –, além de um salário anual de 40 milhões de euros (136 milhões de reais). O clube ainda prometeu mimos como um jatinho particular e até uma rede de hotéis com o nome de Neymar.

A proposta oferecida em dois encontros, em São Paulo e em Ibiza, teria animado Neymar e seu agente Wagner Ribeiro, mas não o pai do atleta. Segundo o L’Équipe, Neymar da Silva Santos exigiu também que o PSG liquidasse a dívida de Neymar com a Justiça brasileira por crimes de sonegação fiscal, fraude e conluio, que chegaria a 45 milhões de euros (153 milhões de reais pela cotação atual) em impostos atrasados e multas.

O PSG, então, se revoltou com as condições impostas por Neymar pai e desistiu da negociação. Segundo o L’Équipe, o dono Nasser Al-Khelaifi considerou o pedido “obsceno”. Na semana passada, Neymar assinou contrato de 52 milhões de reais por temporada com o Barcelona e disse que jamais cogitou deixar o clube catalão.

Publicidade