Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Palmeiras testa novo poder de fogo contra a Ponte Preta

Por Daniel Akstein Batista

São Paulo – Melhor ataque do Campeonato Paulista, com 30 gols, o Palmeiras testa neste sábado, às 18h30, no Pacaembu, uma nova formação ofensiva para chegar à liderança da competição. Sem Maikon Leite, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Ricardo Bueno ganha vaga ao lado do goleador Hernán Barcos para o confronto contra a Ponte Preta. Valdivia também deve voltar ao time.

O momento é especial para Ricardo Bueno. O atacante busca gols para, além de colocar o Palmeiras na liderança – o time tem 29 pontos, um a menos do que o Corinthians, que joga neste domingo -, encaminhar a renovação de contrato – o acordo atual termina no final do Paulistão. “Todas as oportunidades são decisivas. Tenho de ter boas atuações, com gols, para poder renovar”, contou. “Acredito que venho entrando bem nos últimos jogos”.

Acostumados a ver Barcos mais na área e o baixinho Maikon Leite correndo pelas pontas, os torcedores vão assistir ao time neste sábado com dois centroavantes. Não que isso seja problema para os jogadores. “Já treinamos juntos umas três vezes assim e deu certo, com os dois marcando gol. Esperamos que isso se repita no jogo”, disse Ricardo Bueno, dando esperança à torcida. “Com o Maikon em campo, muitas vezes o Barcos acaba saindo para buscar o jogo e não fica ninguém na área. Agora vai ser diferente”.

O argentino mostra nas palavras estar com o discurso entrosado com o do companheiro de ataque. E reforça que vai ter um revezamento na posição. “Quando um sair o outro fica na área para ter uma referência”, declarou Barcos, que ganhou um par de chuteiras especial, com a contagem para os 27 gols que prometeu marcar assim que chegou ao clube. O par que será usado neste sábado está com a inscrição “-19”.

Será a primeira vez que o Palmeiras jogará com esta formação. Como Daniel Carvalho foi mal contra o Coruripe, na última quarta-feira, e Felipão pensa em dar descanso para alguns atletas – o zagueiro Henrique nem foi relacionado -, Valdivia deve ser o único armador do time. Ruim para Barcos, que esperava uma dupla diferente no meio de campo, com Daniel Carvalho e o chileno juntos.

“Para mim seria mais fácil se tivéssemos dois armadores com as mesmas características”, contou o argentino, autor de oito gols com a camisa alviverde. “Mas é o técnico quem decide”. E Felipão não quer mesmo os dois meias juntos. Assim, Valdivia deve atuar com João Vítor ao seu lado, volante que protege a defesa. Com uma infecção bacteriana, que causou amidalite e febre, o lateral-direito Cicinho foi vetado para o jogo. Artur segue no time e o paraguaio Román deve ganhar chance na zaga.