Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Hospital: Surfista declarado como morto está ‘em estado grave’

Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre, onde seria realizada doação de órgãos de Lucas Zuch, negou a morte do surfista de 27 anos

O surfista gaúcho Lucas Zuch, declarado como morto após sofrer um acidente na Barra da Tijuca, na última terça-feira, não teve sua morte confirmada pelo Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, onde o atleta de 27 anos está internado desde a manhã desta segunda-feira. Em boletim médico, o hospital afirma que “seu estado de saúde é grave e, no momento, Lucas passa por uma série de exames de avaliação neurológica.”

O hospital informou que o atleta sofreu “um afogamento no dia 7 de março, no Rio de Janeiro” e foi transferido a capital gaúcha nesta manhã. A morte do surfista havia sido confirmada nas redes sociais do próprio Zuch e de seu site, Surfari. Até mesmo o campeão mundial Adriano de Souza, o Mineirinho, postou uma homenagem a Lucas, considerado um dos maiores apoiadores do surfe no país. 

View this post on Instagram

No surf, os melhores dizem que, se você saiu do tubo, é porque não estava fundo o suficiente. Hoje começa uma nova fase na vida de todos que já foram tocados pelo amor de nosso grande idealizador @zuchlucas. A batalha pós afogamento foi dura e somente com a energia imensa que recebemos do MUNDO inteiro conseguimos encarar essa perda de maneira positiva. Esses últimos 5 dias foram os mais difíceis e especiais das nossas vidas, quem entrou menino saiu homem, quem entrou descrente saiu com fé e quem entrou dormindo saiu anjo! Lucas agora está conosco em outro plano e não temos justificativa para o acontecido, mas temos esperança de que um dia vamos entender. Ele estava pleno, realizado com a vida e fazendo o que mais gosta, surfando e botando para dentro de um tubo. Assim como os melhores, ficou fundo o suficiente pra não sair! Agora ele está eternamente envolto pela natureza e representado em cada onda. Agora ele é amor e inspiração na busca dos nossos sonhos. Agora é saudades e intensidade, um gole amargo de mate e uma boa colherada num abacate. Vamos viver para celebrá-lo. A energia agora é para família e amigos. Aloha! Por último, não poderíamos deixar de dizer que o Lucas foi tão especial que deixou de presente para outras pessoas que ele nem conhece alguns de seus órgãos vitais, energizados pelas luzes de vocês! Quanto ao Surfari, esperem um pouco. Vamos juntar nossos pedacinhos e, quando for a hora, voltaremos a realizar os sonhos do Lucas! #forçafamiliazuch #somostodoszuch #surfsalva #lifeisgood #RIP

A post shared by Surfari (@surfaritv) on

Lucas foi visto boiando no mar e foi resgatado pelos bombeiros. Ele passou pelo Hospital Lourenço Jorge, no Rio, onde ficou internado em coma induzido. Em um dos boletins divulgados pelo hospital, o surfista apresentava infecção no pulmão (pneumonia) e em um dos rins.

No fim de semana, Lucas foi transferido para a Casa de Saúde São José, na zona sul do Rio, que chegou a declarar sua morte cerebral. A família, então, transferiu Lucas para o hospital de Porto Alegre, onde realizaria os trâmites finais para doação de órgãos. No entanto, segundo uma prima do surfista, Bruna Zuch, o quadro de Lucas sofreu uma “reviravolta”.

“Quando estavam fazendo exames antes da retirada dos órgãos, viram que ele teve algum tipo de reação, diferente do que havia sido visto anteriormente. Fizeram novo diagnóstico e aí constataram que ele não teve morte cerebral”, contou Bruna ao site do jornal O Globo.

“Sabemos que a chance dele sobreviver ou de não ter sequelas é bem pequena, seria um milagre. Ele continua em coma e os médicos estão exaurindo todas as possibilidades. Estamos numa situação parecida com a de antes, só que com uma pontinha a mais de esperança. Mas a esperança é a última que morre, vamos seguir rezando”, completou a prima do surfista. Horas depois, ao mesmo site, Bruna disse ter se equivocado e pediu que suas aspas fossem retiradas.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Que furo hein Veja. Noticiou errado.

    Curtir