Clique e assine com 88% de desconto

Histórico! Ginástica masculina leva prata e bronze no solo

Com apresentações de gala, Diego Hypólito e Arthur Nory faturaram as medalhas de prata e de bronze no solo. O ouro ficou com o britânico Max Whitlock

Por Da Redação - Atualizado em 14 ago 2016, 15h55 - Publicado em 14 ago 2016, 14h36

O dia 14 de agosto de 2016 foi histórico para a ginástica olímpica brasileira. Com apresentações de gala, Diego Hypólito e Arthur Nory faturaram as medalhas de prata e de bronze no solo. O ouro ficou com o britânico Max Whitlock.

Whitlock recebeu nota 15.633, enquanto Diego garantiu o segundo lugar com 15.533, e Nory completou o pódio com 15.433.

Quando a nota do rival não superou a de Nory, a Arena Olímpica do Rio veio abaixo. Os ginastas exibiram uma bandeira do Brasil para o público.

Olhares Olímpicos: O terceiro Hipólyto

Publicidade

No primeiro ano em que o Brasil competiu com uma equipe completa na ginástica artística masculina, os atletas fizeram história. Foi a primeira vez que dois brasileiros subiram juntos ao pódio em modalidades individuais. Além disso, o país nunca tinha faturado duas medalhas na ginástica – o único triunfo havia sido o ouro de Arthur Zanetti nas argolas em Londres.

A medalha representa a redenção para Hypólito, 30 anos, campeão mundial em 2005 e 2007, mas que ficou longe do pódio em Pequim-2008, quando era favorito, e em Londres-2012. “Numa Olimpíada eu caí literalmente de bunda. Noutra, caí de cara no chão. Hoje, caí de pé”, disse em entrevista, já com a medalha no pescoço.

Nory, 22 anos, teve que esperar a nota do último ginasta na disputa, o americano Samuel Mikulak, para saber se subiria ao pódio. “Passa um filme na cabeça. Nunca deixei de acreditar. Agradeço o apoio a todos que lutaram comigo”, afirmou Nory.

(Com Agência France-Presse e GazetaPress)

Publicidade