Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Ex-jogador Sócrates morre em São Paulo aos 57 anos

Por Da Redação 4 dez 2011, 07h33

Por AE

São Paulo – Internado desde a noite da última quinta-feira, em razão de uma infecção intestinal, Sócrates morreu às 4h30 desta manhã de domingo aos 57 anos. Ídolo corintiano e da seleção brasileira, o ex-jogador não resistiu à infecção generalizada, causada por uma bactéria, em sua terceira internação seguida em menos de quatro meses. Sócrates deixa esposa e seis filhos.

O ex-atleta havia apresentado uma leve melhora na noite de sábado na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele apresenta situação estável, mas, segundo os médicos, ainda era considerado grave. Segundo nota divulgada pelo hospital, Sócrates Brasileiro Sampaio de Sousa Vieira de Oliveira faleceu em consequência de um choque séptico.

Ele estava sedado e respirava por aparelhos. Os rins de Sócrates passaram por um processo de diálise para ajudar a filtrar as impurezas do sangue – apesar disso, os rins não estariam prejudicados. Segundo nota anterior do hospital, o ídolo da fiel torcida corintiana iria ficar em observação, na UTI, por mais 72 horas.

Esta terceira internação do ex-jogador nos últimos quatro meses teria sido causada por uma intoxicação alimentar. Sócrates e um amigo teriam passado mal na quinta-feira após almoçarem no restaurante de um hotel em São Paulo.

Sócrates foi internado pela primeira vez neste ano em 19 de agosto em estado grave por conta de uma hemorragia digestiva causada pelo consumo excessivo de álcool. Ele teve alta oito dias depois. No entanto, voltou à UTI no dia 6 de setembro em razão de uma nova hemorragia digestiva. Desta vez, a internação foi mais longa e durou 17 dias.

Quando saiu da primeira internação, o ex-jogador revelou que tinha um ponto cirrótico localizado em uma área hipersensível do fígado. Ele também reconheceu que era dependente de álcool, mas que não beberia mais dali em diante.

Sócrates foi uma das estrelas da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1982, na Espanha. Também disputou o Mundial de 1986, no México. Ele defendeu o Corinthians de 1978 a 1984, período em que conquistou três títulos do Campeonato Paulista: 1979, 1982 e 1983. Participou ainda da campanha Diretas Já, em 1984, e foi um dos principais idealizadores do movimento Democracia Corintiana.

Continua após a publicidade
Publicidade