Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dagol diz que Andrés mente para mudar foco e pede fé em sua palavra

Menos de 24 horas após Andrés Sanchez ‘anunciar’ um acerto entre Dagoberto e Santos, até informando o pagamento de R$ 2 milhões em luvas e salários de R$ 300 mil, Dagoberto apareceu no CCT da Barra Funda para chamar o presidente do Corinthians de mentiroso e oportunista, negar qualquer contato com dirigentes do Peixe a ainda fazer um pedido: que acreditem nele.

‘Já expliquei inúmeras vezes, precisam acreditar um pouco na minha palavra e parar de entrar na onde dos outros. Quem decide a minha vida não é o presidente do Corinthians nem apresentador e comentarista de televisão, sou eu. Não vejo crédito nenhum no que falo’, reclamou o atacante, que credita a informação do dirigente corintiano à necessidade de tirar a crise de seu clube do foco.

‘Fulano ou sicrano quer tirar o foco do time dele para colocar no São Paulo, que é um clube organizado e está sempre buscando título, fazendo as coisas certas. Quer colocar um clima ruim e errado aqui dentro. É uma grande mentira e, acima de tudo, uma falta de ética, porque ele não tem nada a ver com o São Paulo nem com o Santos’, acusou.

O jogador contou que seu empresário, Marcos Malaquias, tentou um contato telefônico com Andrés Sanchez, mas o mandatário do Corinthians não atendeu. O que só aumentou a indignação de Dagoberto, que enfatizou sua coragem para falar sobre o assunto, enquanto o dirigente não conversa nem particularmente com seu agente para explicar sua declaração.

‘Tenho família e um carinho muito grande pela nação são-paulina. Procuro pensar muito antes de falar porque estamos lidando com pessoas, emoções, paixões. Tenho uma história aqui dentro. Sou homem para falar e cumprir o que falo. Precisam acreditar na minha palavra’, reforçou, irritado.

‘Não entendi até hoje de onde ele tirou isso. E falou de valores, luvas… Olha, é triste. Por isso nosso futebol e o Brasileiro estão do jeito que estão. Pessoas sem responsabilidade nenhuma falam. Falar, todos podem, mas tem que tomar cuidado. Se eu falar qualquer coisa de qualquer um, tenho que provar. E o que ele falou não tem cabimento, nunca conversei com o Santos’, insistiu.

O artilheiro do Tricolor na temporada, porém, não descarta acertar com um rival após o fim de seu contrato, que acaba em 18 de abril. ‘Antes de vir para o São Paulo, tive outras propostas de clubes daqui e escolhi o São Paulo. É uma questão respeito e admiração. Mas sei lá, não se sabe o dia de amanhã’, confessou, antes de garantir.

‘Se eu assinar um pré-contrato, a primeira pessoa que vai saber é o Juvenal. Seria uma grande falta de respeito se não fosse assim. Sempre deixei bem claro o meu carinho e admiração pelo clube’, enfatizou.