Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Com risco de ficar em 5 , São Paulo garante que ainda luta por taçaF

Por Da Redação 12 out 2011, 19h42

O 0 a 0 com o Inter, na Arena Barueri, que aumentou para cinco jogos o jejum de vitórias do São Paulo, pode custar caro ao clube. Na sequência da 29rodada, o time corre o risco de cair do terceiro para o quinto lugar e ficar a seis pontos da liderança. Mas o título, ao menos no discurso, ainda é colocado como objetivo possível.

‘Com certeza ainda estamos na briga. Só vamos sair quando não tivermos mais chances mesmo, mas por enquanto estamos na competição’, definiu Rivaldo na saída do gramado, sem muita convicção, mas em discurso que ganhou mais força com Adilson Batista.

O treinador preferiu não imaginar como ficará a situação do Tricolor caso o Corinthians vença o Botafogo na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, e abra seis pontos de diferença. Mas o chefe deu a entender que, mesmo se for ultrapassado por Flamengo e Botafogo, não abrirá mão da meta de ser campeão.

‘Ainda acredito no nosso objetivo, que é o título. Por nossa tradição, força, qualidade e o retrospecto do campeonato nos últimos anos, estamos brigando. Temos nove rodadas e precisamos vencer um número alto, mas a luta continua’, definiu o comandante.

A confiança do chefe é tanta que ele já revelou nem cogitar prilorizar a Copa Sul-americana em detrimento do Brasileiro para garantir um título na temporada e uma vaga na Libertadores. Otimismo que ainda não atingiu Rogério Ceni, que há três rodadas declarou que só daria para sonhar com título nacional com uma vitória e, desde então, a equipe perdeu do Flamengo e empatou com Cruzeiro e Inter.

Para comprovar as possibilidades de ser campeão brasileiro, Adilson tem consultado frequentemente o matemático Tristão Garcia. ‘Ligo toda hora para ele, fazemos continha, simulações. Tenho uma idéia de número de pontos necessários, mas guardo só para mim. Mas quem tem 1% de chance pode ganhar o campeonato’, argumentou o chefe.

Continua após a publicidade

Publicidade