Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após empate, Tite perde paciência com ataque corintiano

Por Fábio Hecico

São Paulo – O técnico Tite, sempre sereno, perdeu a paciência com o ataque do Corinthians. Depois de várias chances criadas diante do Figueirense – nenhuma tão clara é bem verdade – e o castigo ao levar o gol de empate (1 a 1), ele não poupou o setor e já admite mudanças para a partida com o Santos na Libertadores, apesar de evitar falar do clássico marcado para a próxima quarta-feira, na Vila Belmiro, palco do duelo de ida da semifinal da competição continental.

“Precisamos traduzir o que criamos em gols, jogar mais. A Libertadores é uma história, essa (Campeonato Brasileiro) é outra, mas temos de nos apresentar como o que fizemos com o Atlético-MG, agredindo, mas traduzindo o que foi criado em vitória. Temos condição de fazer mais, independentemente de estarmos focados em outra competição, e minha cobrança é nesse sentido”, desabafou o técnico.

“Bons resultados dão confiança, o ruim não, gera incerteza, por isso vem a cobrança. Não quero pensar no Santos, temos o Grêmio e é importante um bom resultado para nós. Temos é de traduzir em gols o que se faz em 80 minutos, senão a bola vai lá e te pune, como ela puniu hoje (nesta quinta-feira). Não lembro de outro ataque do Figueirense, mas eles foram lá e marcaram”, disse Tite, já projetando o confronto deste domingo, contra o Grêmio, às 17 horas, no Olímpico, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Ciente de que os erros serão fatais diante do Santos, o comandante deu uma chacoalhada nos titulares e deixou os reservas em estado de alerta. “Vamos deixar que o próximo passo possa falar, ver o melhor momento técnico de cada um”, afirmou.

Os jogadores, cientes de que a ineficiência do ataque possa atrapalhar na “decisão” da Libertadores, já conversaram após o jogo desta quinta-feira. “Foi o segundo resultado ruim em casa, temos de recuperar o quanto antes. No Brasileiro estamos devendo, atrás de todo mundo. Se perde num jogo, tem de recuperar no outro, trabalhar duro”, disse o meia Alex.

Paulinho teme que o tropeço mexa com a cabeça do grupo corintiano. “Fizemos um primeiro tempo muito bom, eles perderam um jogador no segundo e era momento de agredir mais e demos espaço. Agora é corrigir todos os erros, nada preocupante ainda, mas incomoda não vencer. Temos de buscar logo um resultado positivo”, enfatizou o volante.