Clique e assine a partir de 9,90/mês

Rapper will.i.am acusa companhia aérea australiana de racismo

O líder dos Black Eyed Peas foi repreendido duramente por uma comissária de bordo e a acusou de direcionar seu ódio para pessoas de cor negra

Por Da Redação - Atualizado em 17 nov 2019, 16h39 - Publicado em 17 nov 2019, 16h38

O rapper americano will.i.am acusou a empresa australiana Qantas de racismo. Durante de um vôo de Brisbane para Sidney, o líder do Black Eyed Peas estava usando fones de ouvido em seu notebook, não escutou o pedido de desligar os aparelhos eletrônicos e foi repreendido duramente pela comissária de bordo. “Lamento dizer, mas eu e meu grupo tivemos o pior serviço de bordo porque fomos atendidos por uma pessoa mais que agressiva. Não quero acreditar que tenha sido racista, mas claramente direcionou suas frustrações para pessoas negras”, escreveu ele para seus 12 milhões de seguidores no Twitter.

Quando o avião pousou em Sidney, will.i.am foi recebido por cinco policiais. Em seus tweets posteriores, o rapper divulgou o nome da integrante da tripulação que teria sido rude com ele. Outras pessoas que estavam no mesmo vôo confirmaram a rudeza da comissária com o cantor dos Black Eyed Peas. “Estava no mesmo vôo e não pude acreditar na rudeza daquela funcionária. Minhas desculpas em nome da metade da Austrália”, postou Kate Selway. Os representantes da Qanta minimizaram o incidente e desejaram uma turnê australiana para o rapper e o Black Eyed Peas.

Publicidade