Clique e assine com 88% de desconto

Paraíso do Tuiuti faz crítica com coxinhas armadas e ironiza Bolsonaro

Desacostumada a ser grande, escola foi inchada para a avenida e teve que correr para não estourar o tempo

Por Fernando Molica, do Rio de Janeiro - Atualizado em 5 mar 2019, 14h36 - Publicado em 5 mar 2019, 04h29

Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel não desceu à pista para acompanhar o desfile da Paraíso do Tuiuti, nesta segunda noite do Grupo Especial do Carnaval carioca. Acompanhou da varanda do camarote oficial a crítica à elite politica brasileira contida no enredo sobre o bode Ioiô, que marcou a vida de Fortaleza nos anos 1920 – chegou a receber votos suficientes para ser eleito vereador.

A escola manteve o tom critico que a levou ao vice-campeonato de 2018. E mostrou Ioiô como metáfora de um sistema político feito para excluir e explorar a população.

No ano passado, Michel Temer foi alvo preferencial da Tuiuti. Este ano, a crítica foi mais discreta, mas clara. Uma ala mostrava coxinhas (componentes que usavam fantasia simulando o salgadinho) armadas. No último carro estavam expostas frases que ironizavam falas do presidente Jair Bolsonaro e aliados: “Deus acima de tudo, mas a favor da tortura”, “Direitos humanos para humanos direitos”.

No fim das contas, a escola mostrou as dores do crescimento. Desacostumada a ser grande, foi inchada para a avenida e teve que correr para não estourar o tempo.

Publicidade

Componente da escola de samba Paraíso do Tuiuti, durante desfile na Marquês de Sapucaí – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com
Folião desfila pela Paraíso do Tuiuti na segunda noite do Grupo Especial, no Rio – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com
Ala da Paraíso do Tuiuti, durante desfile no Sambódromo da Marquês de Sapucaí – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com
O casal de porta-bandeiras, Daniele Nascimento e Marlon Flores – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com
Com o enredo ‘O salvador da pátria’, a escola de samba Paraíso do Tuiuti desfila pela Sapucaí – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com
Componente da escola de samba Paraíso do Tuiuti desfila pela Marquês de Sapucaí – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com
Detalhe do desfile da escola de samba Paraíso do Tuiuti, no Sambódromo do Rio – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com

 

Bateria da escola de samba Paraíso do Tuiuti, no segundo dia de desfiles do Grupo Especial – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com
Denise Dias, madrinha de bateria da Paraíso do Tuiuti – 05/03/2019 Daniel Ramalho/VEJA.com
Publicidade