Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Ozzy se diz insaciável e amante assume: ‘Meus melhores anos’

Vocalista do Black Sabbath admitiu ser viciado em sexo após revelação do caso que abalou seu casamento

Por Da redação - Atualizado em 3 ago 2016, 17h59 - Publicado em 3 ago 2016, 17h38

Enquanto Ozzy Osbourne tenta recuperar seu casamento de 33 anos, sua ex-amante, a cabeleireira Michelle Pugh, falou pela primeira vez sobre o caso de 4 anos com o roqueiro. À revista americana People, Michelle afirmou que o relacionamento com Ozzy, que passou a flertar com ela em 2011, quando a moça cuidou das madeixas do músico pela primeira vez, foi um período muito, muito especial.

“Quando eu digo que ele me deu os melhores anos da minha vida, eu falo sério”, diz Michelle. “Ele me fez sentir como a mulher mais bonita e admirada do mundo”. Ela ainda conta que não se relacionou com Ozzy por causa da fama, mas sim por seu comportamento “doce, engraçado e fofo”. “Às vezes desperto de um sonho com ele e por um minuto fico em paz. Mas percebo sua ausência e é horrível”, conta.

A declaração de amor de Michelle motivou uma resposta nada amorosa de Ozzy. Segundo um porta-voz do vocalista do Black Sabbath, o caso foi apenas físico, motivado por um probleminha de compulsão sexual do cantor. “Há seis anos, Ozzy Osbourne tem lutado contra um vício em sexo. Ele sente muito se a senhorita Pugh viu o caso sexual deles fora de contexto”, diz o comunicado publicado pela revista. “Desde que a relação com ela foi exposta, Ozzy se submeteu a um intenso tratamento. Ozzy está envergonhado com o resultado de seu comportamento e como isso afetou sua família. Ele agradece a Deus por sua incrível mulher Sharon, por estar ao seu lado e apoiá-lo nesse momento.”

LEIA TAMBÉM:
Ozzy Osbourne tinha vida dupla com affair, diz site
Ozzy Osbourne diz que casamento está ‘de volta aos trilhos’
Ozzy Osbourne nega que vícios sejam causa do divórcio

A esposa – Após tantas informações, Sharon também se manifestou sobre o caso nesta quarta-feira durante o programa The Talk, do canal CBS, do qual ela participa. “Ele está sendo tratado por compulsão sexual há três meses. E tem trabalhado nisso”, diz a empresária do Black Sabbath. “É difícil porque isso afeta toda a família e é bem vergonhoso falar sobre. Drogas e bebidas são mais aceitáveis, mas quando alguém é viciado em sexo, é mais embaraçoso. Estou orgulhosa por ele ter admitido”, diz a esposa.

Publicidade