Clique e assine a partir de 9,90/mês

Modelo brasileira teria usado caco de vidro para barrar Weinstein

O produtor teria perseguido Juliana de Paula pelado; para se defender, ela apontou um pedaço de vidro para ele

Por Da redação - Atualizado em 25 out 2017, 21h13 - Publicado em 23 out 2017, 16h08

A brasileira Juliana de Paula se somou às acusações de assédio contra o produtor Harvey Weintein. Em depoimento ao jornal Los Angeles Times, a modelo contou que ele a obrigou a beijar outras mulheres na frente dele, durante festa em Nova York. Mais tarde, Weinstein teria passado a persegui-la pelado em um apartamento e que, para se defender, a moça apontou um caco de vidro para ele.

“Ele olhou para mim e começou a rir. Eu fiquei chocada, completamente incrédula”, declarou Juliana ao jornal. Weinstein coleciona mais de 50 acusações de assédio sexual e conduta imprópria, por parte de atrizes, funcionárias e duas outras modelos, Samantha Panagrosso e Zoe Brock.

Antes da eclosão do caso, o produtor era casado com a estilista Georgina Chapman, e teria usado os contatos e influência da esposa para atrair jovens modelos.

Publicidade