Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ivete brilha, Crivella falta e Salgueiro apresenta o diabo

Depois de mistério durante a semana, prefeito-bispo se ausenta e perde desfiles em homenagem à cantora baiana e ao inferno da "Divina Comédia"

O primeiro dia de desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro começou em baixo astral. A chuva e a tragédia que deixou oito pessoas feridas na apresentação da Paraíso do Tuiuti esfriaram os ânimos na Marquês de Sapucaí. Só com a presença da cantora Ivete Sangalo, tema do enredo da Grande Rio, é que as arquibancadas voltaram a se contagiar.

Pela primeira vez desde 1984, o prefeito da cidade não prestigiou os desfiles no primeiro ano do seu mandato. Depois de fazer mistério durante toda a semana, Marcelo Crivella não apareceu na Avenida para assistir às escolas do Grupo Especial. Ele, que é bispo licenciado da igreja Universal, também já havia quebrado outro protocolo simbólico do Carnaval Carioca. Na sexta-feira, Crivella não entregou a chave da cidade para o Rei Momo.

Abaixo o que o prefeito perdeu esta madrugada na Sapucaí:

Paraíso do Tuiuti

É duro abrir o desfile das escolas de samba no domingo de Carnaval. A tarefa é destinada à agremiação que estava no Grupo de Acesso no ano anterior – ou seja, uma forte candidata a cair novamente para a segunda divisão do samba.

No caso da Paraíso do Tuiuti, um agravante: tudo o que a escola fez na Avenida acabou ofuscado pelo atropelamento provocado por um dos seus carros alegóricos. Oito pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave.

A escola da Zona Norte do Rio apresentou um enredo sobre o tropicalismo. O desfile foi até correto, mas o destino da Paraíso será a briga para não ser rebaixada.

Grande Rio

A homenagem da escola de Duque de Caxias para Ivete Sangalo era o momento mais esperado da noite de domingo – e a espera valeu a pena para os fãs da cantora. Ivete não se limitou a aparecer no carro alegórico que encerraria o desfile (prática comum de artistas temas de enredos na Sapucaí). Ela comandou a coreografia da comissão de frente, que contagiou a Avenida. Animada, a escola tinha na ponta da língua o samba de fácil assimilação do público (especialmente o refrão “Salve toda essa gente de fé, o tambor da invocada promete, Levanta a poeira, Ivete”).

O desfile da Grande Rio aproveitou para contar um pouco da história da Bahia, terra natal de Ivete. Também fez referências a músicas da cantora e a sua participação em programas de TV como o The Voice Kids.

O desfile foi bonito, mas deu a sensação de que pode ter faltado algo para arrebatar os jurados e pôr fim ao jejum de títulos da Grande Rio no carnaval carioca. Mas, verdade seja dita, foi a única escola a arrepiar a Avenida graças a Ivete.

Imperatriz

Terceira a desfilar na noite, a Imperatriz Leopoldinense levou para a avenida o polêmico samba-enredo Xingu, o Clamor que vem da Floresta. O tema despertou a ira dos ruralistas desde o início de janeiro, quando foi anunciado. A ponto do senador Ronaldo Caiado propor uma CPI para apurar quem são os financiadores do desfile que busca “denegrir o agronegócio”.

Na pista, a escola passou longe da polêmica. A ousadia ficou por conta de um carro alegórico inteiro com mulheres de seios de fora (sim, hoje isso é audacioso) e as paradinhas da bateria. Fora isso, a Imperatriz exibiu um punhado de alegorias que pareciam já ter passado pela Avenida nos últimos anos.

O desfile provavelmente colocará a escola em um nível intermediário na classificação geral. Dependendo do desempenho dos adversários na segunda-feira, é possível até brigar por um lugar no Desfile das Campeãs.

Vila Isabel

Depois do título no Carnaval de 2013, a Vila Isabel coleciona desempenhos decepcionantes na Avenida. A tendência é que mantenha a performance este ano e fique mais uma vez de fora do desfile das campeãs. Uma pena para Martinho da Vila e Sabrina Sato, estrelas que mais uma vez abrilhantaram a Sapucaí com seu carisma.

A escola levou ao Sambódromo um enredo sobre a influência africana nas Américas, especialmente na música. Na última alegoria, uma recriação de Kizomba, o enredo de 1988 que sagrou a Vila campeã. Alguns carros tiveram problemas de acabamento, o que fatalmente gerará perda de pontos para a escola.

Salgueiro

Os fotógrafos da Sapucaí lamentaram a ausência de Marcelo Crivella. Imaginavam fazer imagens do prefeito ao lado de carros alegóricos com referência ao diabo (haviam três deste tipo no desfile do Salgueiro).

A escola da zona Norte do Rio levou para a Avenida um enredo sobre a Divina Comédia de Dante Alighieri. Especialmente no início do desfile, o impacto visual dos carros e fantasias foi muito forte. Sem erros, o Salgueiro deverá brigar pelo título.

Beija-flor

A escola de Nilópolis irrita os rivais, mas o fato é: basta pisar na Avenida para vestir o manto do favoritismo. Não foi diferente no primeiro dia de desfiles. Com alegorias exuberantes, a Beija-flor fechou com chave de ouro o início da manhã de segunda-feira.

A grande novidade da Beija-Flor foi o fim do conceito de alas em alguns trechos do desfile. Integrantes com várias fantasias de cores diferentes integravam o mesmo grupo na Avenida.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. tem gente que ainda assiste esta porcaria? Só mesmo estrangeiros de 3o. mundo deslumbrados com o exotismo. Abaixo verbas públicas para esta festa carnal e insana que só expõe a mulher….cadê as feminazis que deveriam protestar contra esta festa MACHISTA, SEXISTA, FASCISTA e RACISTA!

    Curtir

  2. José Carlos Lopes de Oliveira

    Fotos horrorosas.

    Curtir

  3. Roberto costa

    Bem fez o prefeito, queriam sacaneá-lo e se ferraram.

    Curtir

  4. Ademilson Ribeiro

    Qual a obrigação de um prefeito ter obrigação de ir a feira, festa de vaquejada, festa da taínha, carnaval? É impressionante a falta de coerência nas prioridades do Rio. De analfabeto à intelectuais, as prioridades desafiam a lógica. Azar do povo miserável.

    Curtir

  5. ta certo ,e para o proximo ano é cortar ajuda com dinheiro publico pro carnaval

    Curtir

  6. Damastor Dagobé

    …e se os marcianos chegassem acreditariam, que essa gente tem algum problema na vida???
    os politicos fazem muito bem em não levar a sério seus protestos…não é serio

    Curtir

  7. Geroldo Zanon

    O CRIVELA não porque tio dele o bispo do diabo não deixou

    Curtir

  8. Jose Eugenio Bevilaqua

    (Risos) Brasil, Brasil…só agora apresentaram o “diabo”? rsrsrsrs, pensei que “ele” já havia sido apresentado a todos os brasileiros, rsrsrsrs, afinal sempre esteve e reinou em Brasília, ou não? Aliás a legião toda, rsrsrsrs…

    Curtir

  9. Carnaval é a maior pu ta ria do mundo.

    Curtir

  10. Esse Crivela é evangélico. O carnaval do Rio vai morrer com ele na prefeitura.

    Curtir