Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

IMPERDÍVEL: Pinacoteca reorganiza seu acervo de arte moderna

Museu passa a ser o único de São Paulo a contar a história da arte no Brasil do período colonial até os anos 1970

A Pinacoteca de São Paulo apresenta, a partir do dia 22 de outubro, a exposição Galeria José e Paulina Nemirovsky – Arte moderna. Uma reorganização e uma ampliação da mostra sobre o Modernismo, que ficou em cartaz por quatro anos na Estação Pinacoteca e agora ocupa as cinco salas no primeiro andar do edifício da Luz.

LEIA TAMBÉM:
Coleção pop de Roger Wright chega à Pinacoteca
Exposição de Ron Mueck dá recorde de público à Pinacoteca

Reunindo uma seleção de mais de 100 peças dos acervos da Pinacoteca do Estado de São Paulo, da Fundação José e Paulina Nemirovsky e da Coleção Roger Wright, a mostra faz a conexão entre a exposição do segundo andar Arte no Brasil: Uma história na Pinacoteca de São Paulo e a exposição Vanguarda brasileira dos anos 1960 – Coleção Roger Wright, aberta recentemente. Com isso, a Pinacoteca passa a ser o único museu de São Paulo que, com 700 obras, distribuídas em 2.000 metros quadrados, conta a História da Arte no Brasil do período colonial até os anos 1970.

A mostra, que será inaugurada no primeiro andar, enfoca importantes momentos do período moderno no Brasil: as inovações formais do primeiro Modernismo (de Tarsila do Amaral e Lasar Segall), a preocupação com questões sociais de Portinari e Di Cavalcanti, e o interesse pelos artistas autodidatas ou treinados fora das academias de arte, como Volpi, Pancetti e José Antonio da Silva.

A mostra permanece em cartaz até 26 de agosto de 2019 no 1º andar da Pinacoteca – Praça da Luz, no centro de São Paulo. A visitação é aberta de quarta a segunda-feira, das 10 às 17h30, e o ingresso custa 6 reais (inteira) e 3 reais (meia). Aos sábados, a entrada é gratuita. Crianças com menos de dez e adultos com mais de 60 anos não pagam.