Clique e assine a partir de 9,90/mês

Desaparecimento de Naya Rivera revive a “maldição de ‘Glee'”

Mortes trágicas marcaram o elenco da série musical, que fez muito sucesso entre os anos de 2009 e 2015 com sua trama divertida e alto astral

Por Felipe Branco Cruz - Atualizado em 16 jul 2020, 11h38 - Publicado em 9 jul 2020, 11h55

A vida real dos astros de Glee parece um roteiro da tétrica American Horror Story, se comparada ao enredo solar e divertido da série de TV musical do mesmo criador, Ryan Murphy. Glee fez sucesso pregando a superação e inclusão. Fora das telas, contudo, as notícias sobre o elenco tristemente figuram mais nas seções de polícia que de entretenimento, contabilizando casos de prisão, morte, pedofilia e acusações de racismo. Se confirmado o pior, a lista pode ganhar mais um item trágico: a atriz Naya Rivera, 33, que interpretava a personagem Santana Lopez, está desaparecida desde quarta-feira, 8, após um passeio de barco no lago Piru, na Califórnia.

De acordo com informações divulgadas pela polícia local, Naya alugou um barco por volta das 13h e saiu para navegar com o filho de 4 anos. Por volta das 17h, os policiais encontraram o menino dormindo sozinho no barco. Ele disse que a mãe havia pulado na água, mas não voltou. Equipes de resgate fazem, desde então, buscas no local. Até o momento em que se escreve este texto, a hipótese mais provável era de afogamento.

A criança está bem e é fruto da relação da atriz com Ryan Dorsey. Em 2017, Naya já havia sido presa, acusada de agredir o marido com um soco na cabeça. Na época, ela foi solta após pagar uma fiança de 1 000 dólares. Na sequência, entrou com um pedido de divórcio. O ator abriu mão da acusação de agressão para poder dividir a guarda do filho.

ASSINE VEJA

Governo Bolsonaro: Sinais de paz Leia nesta edição: a pacificação do Executivo nas relações com o Congresso e ao Supremo, os diferentes números da Covid-19 nos estados brasileiros e novas revelações sobre o caso Queiroz
Clique e Assine

Criada pelo talentoso e bem-sucedido Ryan Murphy, a série Glee permanece firme no imaginário dos jovens. Mas o destino de vários de seus astros tem se revelado sombrio. Dois deles morreram. Corey Monteith, que interpretava o galã Finn Hudson, morreu após sofrer uma overdose em 2013, durante um intervalo das gravações da série. Em 2018, Mark Salling tirou a própria vida depois de ser condenado por pedofilia. Em seu computador, foram encontradas 50 000 imagens de crianças nuas. Em 2013, o ator já havia sido acusado de agressão sexual por uma ex-namorada – ela alegou que Salling insistiu em fazer sexo com sem camisinha, apesar dos pedidos dela para que usassem.

Continua após a publicidade

Recentemente, a atriz principal, Lea Michele, foi acusada de racista pela colega Samantha Ware. Ela disse que Lea teria feito comentários preconceituosos nos bastidores da série. “Acho que você disse para todo mundo que, se tivesse a oportunidade, ‘c***** na minha peruca!’, entre outras pequenas agressões traumáticas que me fizeram questionar uma carreira em Hollywood”, escreveu ela nas redes sociais.

Quase um ano depois da morte de Monteith, o namorado da atriz Becca Tobin, que interpretava a Kitty, foi encontrado morto em hotel na Filadélfia. Nenhuma droga, medicação ou arma foi encontrada e até hoje o motivo de sua morte não foi completamente esclarecido.

Nas redes sociais, os fãs lamentam o desaparecimento de Naya e torcem para que ela seja encontrada sã e salva. Mas muitos temem que o caso possa reafirmar a maldição de Glee.

Publicidade