Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘De Repente Pai’ tem argumento original, mas humor fraco

Protagonizado por Vince Vaughn, de besteiróis como 'Penetras Bons de Bico', filme é remake do canadense 'Meus 533 Filhos', longa baseado na história real de doador de esperma que descobre na paternidade a chance de ser melhor

Com 40 e poucos anos, David Wozniak vive o que se pode chamar de mediocridade. Irresponsável e imaturo, ele trabalha como motorista do açougue da família, emprego que só mantém por causa do pai, dono do negócio, passa longos períodos sem dar notícia para a namorada e deve a bagatela de 80.000 dólares a agiotas. Até aí, pouco há que chame a atenção na trama baseada em fatos reais de De Repente Pai, filme do diretor Ken Scott que estreia nesta sexta-feira nos cinemas brasileiros, com o ator Vince Vaughn (Os Estagiários) como protagonista.

A história melhora quando David descobre que o banco de sêmen para onde doou esperma quase 700 vezes, em troca de dinheiro, utilizou seu material em muitas tentativas de gravidez, que resultaram em 533 filhos biológicos. Desse total, 142 adolescentes decidem unir forças em um processo judicial para conhecer o verdadeiro pai. No mesmo período, David recebe a notícia de que a sua namorada está grávida.

É aí que o personagem, confrontado de todos os lados por suas crias, entende que a paternidade pode ser a chance de se tornar uma pessoa melhor. A curiosidade e o desejo pela mudança o levam a procurar alguns dos herdeiros biológicos listados nas fichas do processo. Ao encontrá-los, David, sem revelar a sua identidade, fica amigo dos jovens e assume o papel de “anjo da guarda” de seus filhos.

Apesar do bom argumento, o filme peca pela narrativa fraca e pelo humor previsível. O elenco insosso também tinha pouco a oferecer, deixando toda a responsabilidade do longa para as boas atuações de Vaughn, já acostumado a papéis de quarentões engraçados (ou abobados), e para Chris Pratt (Parks and Recreation), que vive Brett, advogado e melhor amigo abobalhado de David.

Típica produção para toda a família, De Repente Pai é um remake do longa canadense Meus 533 Filhos (2011), dirigido também por Ken Scott, mas falado em francês. Com cenas idênticas nos dois filmes, além de poucas alterações no roteiro, Scott desperdiçou a oportunidade de melhorar seu projeto. Apenas traduziu o roteiro para o inglês e o entregou nas mãos de atores hollywoodianos. Uma pena. Já a visibilidade e o alcance da nova produção sem dúvida serão maiores. Se seguir a regra da atual onda de comédias, os resultados em bilheteria devem ser bem mais satisfatórios que os da primeira tentativa de Scott, que resultou em modestos 1,6 milhão de dólares.