Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bafta culpa indústria do cinema por falta de diversidade entre indicados

Entre os mais de 160 nomes listados, há menos de cinco participantes negros

Por Redação - 7 jan 2020, 16h50

A falta de diversidade entre os indicados nas grandes premiações voltou a causar controvérsia. Após o Globo de Ouro, que teve poucos indicado negros e nenhuma mulher na categoria de direção, o Bafta, considerado o Oscar britânico, seguiu caminho parecido.

Ao anunciar a lista de indicados à premiação deste ano, a Academia Britânica foi criticada pela dominação de atores brancos: Margot Robbie e Scarlett Johansson, por exemplo, foram indicadas duas vezes cada por filmes diferentes. Entre os mais de 160 nomeados, há menos de cinco participantes negros e um número pequeno de asiáticos.

Marc Samuelson, representante do Bafta, se pronunciou em entrevista à Variety sobre a polêmica, que levantou no Twitter a hashtag #Baftasowhite (Bafta é tão branco). “A falta de diversidade nas categorias de atuação é uma frustração que vem do fato de a indústria não se mover com a agilidade que gostaríamos”, disse. 

A afirmação logo foi rebatida por críticos nas redes sociais, que apontaram bons elencos que ficaram de fora das indicações, como o espanhol Dor e Glória; A Despedida, que conta com elenco oriental; e Nós, longa com atores afrodescendente.

Continua após a publicidade

Coringa lidera com 11 indicações, seguido por Era uma Vez em… Hollywood e O Irlandês, com 10 nomeações cada.

O Bafta acontece no dia 7 de fevereiro.

 

 

Publicidade