Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

2017: o ano que combateu a violência contra a mulher

Seja na vida real de artistas ou na ficção, o tema esteve presente em discussões, denúncias e cobranças nas redes sociais durante todo o ano

A língua alemã tem uma palavra que sintetiza a atmosfera de uma época, zeitgeist, algo como “espírito do tempo”. Em 2017, pode-se dizer que o zeitgeist foi o de passar a limpo a conduta dos homens que, de algum modo, seja pela violência física, psicológica ou sexual, têm ameaçado o bem-estar das mulheres. Do início ao fim do ano, pipocaram denúncias de violência. Nomes como Harvey Weinstein, o produtor americano que já soma mais de cem denúncias de assédio, abuso ou estupro, e José Mayer, acusado de assédio por uma figurinista da Globo, deixaram de ser associados somente a suas brilhantes carreiras no mundo da arte e do entretenimento e passaram a inspirar desconfiança.

Relembre abaixo os casos que marcaram o ano:

Esposa grávida acusa Victor Chaves de agressão

Victor Chaves ‘Eu tenho passado por algumas coisas que acho não merecer’, disse Victor

‘Eu tenho passado por algumas coisas que acho não merecer’, disse Victor (Divulgação/TV Globo)

Victor Chaves, que forma dupla sertaneja com o irmão Leo, foi acusado de agressão pela mulher, Poliana Bagatini Chaves, em fevereiro, quando ela estava grávida. Poliana registrou boletim de ocorrência, relatando que havia sido jogada no chão e chutada pelo companheiro. Entrevistado pelo programa Fantástico, Victor negou a agressão. Poliana, por sua vez, recuou e escreveu um texto, publicado no Instagram, em que afirmava ter tido “um grande desentendimento familiar”, mas que não havia terminado em agressão por parte do marido. Uma câmera de segurança do prédio em que moravam, porém, mostrou que Victor deu um empurrão na mulher e levou a polícia a decidir pelo indiciamento do cantor por vias de fato — quando há agressão, mas sem lesão ou ameaça à integridade física da vítima. Na época da denúncia, Victor era jurado do reality The Voice Kids junto com Leo, e foi afastado pela Globo.

José Mayer assedia figurinista da Globo

Su Tonani, figurinista da Globo e o ator José Mayer Su Tonani, figurinista da Globo e o ator José Mayer

Su Tonani, figurinista da Globo e o ator José Mayer (Reprodução/Maurício Fidalgo/Dedoc)

Considerado nome do primeiro time da Globo, o ator José Mayer foi acusado de assédio sexual por uma figurinista assistente da novela A Lei do Amor, trama das 9 da Globo. No dia em que iria ao ar o último capítulo do folhetim, no final de março, Susllem Meneguzzi Tonani publicou um relato contundente no blog #AgoraÉQueSãoElas, do jornal Folha de S. Paulo. No texto, ela afirmava que Mayer dizia a ela absurdos como “Você nunca vai dar para mim?” e que, diante da sua resistência, havia chegado a tocar em sua genitália. O ator admitiu o assédio e pediu desculpas, afirmando que era fruto de uma geração “que aprendeu, erradamente, que atitudes machistas, invasivas e abusivas podem ser disfarçadas de brincadeiras ou piadas”. A Globo também pediu desculpas a Susllem e suspendeu Mayer de futuras produções por tempo indeterminado. Após a denúncia, que a figurinista decidiu não levar à Justiça, atrizes da emissora começaram a campanha “Mexeu com uma, mexeu com todas. Chega de assédio”.

Marcos Harter é acusado de agredir Emilly Araújo no ‘BBB17’

Marcos intimida Emilly durante discussão BBB17 Marcos encurrala e intimida Emilly durante discussão no BBB17

Marcos encurrala e intimida Emilly durante discussão no BBB17 (Reprodução/Twitter)

Marcos Harter foi expulso da casa do BBB17 por infringir as regras do reality show ao machucar Emilly Araújo, sua namorada no confinamento. Durante uma madrugada de abril, Marcos encurralou Emilly contra a parede, gritou, colocou o dedo em riste no rosto dela e apertou seu pulso e seu cotovelo. A gaúcha reclamou de dor e foi ouvida por especialistas da Delegacia da Mulher do Rio de Janeiro, que visitaram o Projac. Nas redes sociais, internautas pediram a eliminação do participante, o que acabou acontecendo. Fora da casa, Marcos foi indiciado por agressão depois de a polícia concluir que as imagens fornecidas pela produção do reality show, os depoimentos colhidos e o laudo pericial mostravam que “as lesões da vítima se deram em razão das ações intencionais do autor”.

Hollywood rompe o silêncio sobre assédio e abuso sexual

O produtor de filmes e seriados norte-americanos, Harvey Weinstein O produtor de filmes e seriados norte-americanos, Harvey Weinstein

O produtor de filmes e seriados norte-americanos, Harvey Weinstein (Christian Alminana/Getty Images)

Décadas de assédio e abuso sexual contra mulheres por parte de diretores, produtores e atores de Hollywood vieram à tona a partir de outubro. Tudo começou quando o jornal The New York Times publicou uma reportagem revelando que o produtor Harvey Weinstein havia firmado diversos acordos com mulheres que o acusavam de assédio, abuso ou estupro. Foi o pontapé inicial para uma série de denúncias contra o americano, que já somam mais de 100, e contra outras figuras da indústria de entretenimento, como os diretores James Toback, Brett Ratner e Lars Von Trier, o humorista Louis C.K. e o ator Dustin Hoffman. Kevin Spacey, astro de House of Cards, também foi acusado de assédio sexual, mas por dezenas de jovens rapazes com quem ele trabalhou na série da Netflix, no cinema e no teatro.

Violência doméstica entra em pauta na novela das 9

Bianca Bin: a mocinha descobre a violência do marido na noite do casamento, em ‘O Outro Lado do Paraíso’

Bianca Bin: a mocinha descobre a violência do marido na noite do casamento, em ‘O Outro Lado do Paraíso’ (Reprodução/TV Globo)

Walcyr Carrasco escolheu sua mais nova novela das 9, da Globo, para tratar de violência doméstica. Na primeira fase de O Outro Lado do Paraíso, Clara (Bianca Bin) foi violentada e agredida constantemente pelo marido, o desequilibrado Gael (Sérgio Guizé). Na trama, ele costumava perder o controle depois de beber e ouvir palavras de incentivo da mãe, a vilã Sophia (Marieta Severo), que o estimulava a “assumir o controle da casa”. Já no capítulo de estreia do folhetim, o personagem ameaçou jogar o médico Renato (Rafael Cardoso), de quem tem ciúmes, de um precipício. Na noite de núpcias, a moça foi violentada pelo marido. Em capítulos posteriores, Clara foi espancada diversas vezes e chegou até a rolar escada abaixo durante uma briga, o que a levou ao hospital.