Clique e assine com até 92% de desconto

Mercadante promete bolsa a cotistas de federais

Benefício, cujo valor não foi divulgado, seria pago a alunos com renda familiar per capita inferior a 1,5 salário mínimo

Por Da Redação 29 nov 2012, 18h11

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse nesta quinta-feira que o governo federal planeja pagar uma bolsa auxílio a parte dos estudantes que ingressarem no ensino superior por meio do novo sistema de cotas, que reserva 50% das vagas das universidades federais a alunos provenientes da rede pública de ensino. De acordo com Mercadante, terão direito ao benefício estudantes com renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo, mas ele não revelou qual será o valor a ser pago.

Leia também:

Universidades públicas paulistas podem adotar cotas

Mercadante promete punição exemplar por fraude no MEC

“O governo federal vai dar um cartão de crédito. Os estudantes terão uma renda direta, como o Bolsa Família”, disse o ministro, após cerimônia no Palácio do Planalto. “Os alunos que têm uma renda per capita inferior a 1,5 salário mínimo e cursam medicina, que é um curso de seis anos em regime integral, como terminarão a faculdade sem ajuda?”, questionou.

Continua após a publicidade

Mercadante lembrou ainda que as universidades terão de dispor de mecanismos compensatórios para atender os alunos cotistas, que terão aulas de reforço para se adequarem ao nível dos demais estudantes. “Vamos ter um sistema de tutoria. Haverá um professor ou aluno de pós-graduação acompanhando e estimulando cada um dos estudantes que estão entrando pelo regime de cotas.”

Mercadante esteve no Senado nesta quinta-feira para uma audiência pública sobre o Plano Nacional de Educação (PNE), documento que determina as metas do MEC para a década (2011-2020). No centro da discussão está a destinação de 10% do PIB para a educação.

Leia também:

O drama de estudantes – e famílias – afetados pelas cotas

‘Para combater a desigualdade, o caminho é a educação básica’

Lei das cotas deve afetar o vestibular já neste ano

Continua após a publicidade
Publicidade