Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Enem começa abordando internet e diversidade, com dificuldade mediana

Com duas temáticas fortes, prova de ciências humanas e linguagens pecou, na avaliação de docentes, apenas na falta de clareza de textos e gráficos

O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 foi marcado por questões de dificuldade mediana e dois grandes temas, que foram citados direta ou indiretamente em diversas das noventa perguntas e na redação: os usos da internet, sobretudo nas redes sociais, e a diversidade sexual, racial e de gênero.

Os estudantes tiveram 5h30 para responder aos itens, que abrangiam as áreas de linguagens e códigos e de ciências humanas, além de uma redação. Em humanas, o ponto alto de dificuldade foram as questões de filosofia, que, no entanto, contava com poucas perguntas.

“Eram apenas seis questões, mas bem complexas. Os textos eram árduos, difíceis para o entendimento de um aluno do ensino médio”, diz Gian Dorigo, professor de filosofia e história do Anglo Vestibulares, parceiro de VEJA em um gabarito extraoficial da prova. Sobre as questões de história, Dorigo avalia que esse ano foi quebrada a tradição do Enem, de perguntas “cabeludas”, com itens de mais fácil resolução por quem prestou. “As perguntas não eram ambíguas ou polêmicas e não tinham alternativas que deixassem dúvida na hora de responder”, argumenta.

Completando as ciências humanas, as questões de sociologia viram a teoria política dar lugar a temas do cotidiano, relacionados, por exemplo, aos direitos humanos. Em geografia, na avaliação do professor Augusto Silva, também do Anglo, a dificuldade pode ser considerada média, sendo que o principal desafio dos estudantes era a questão visual, com gráficos prejudicados pela ausência de cores na impressão da prova.

“Havia imagens e gráficos pouco claros, difíceis de serem visualizados por não terem cores”, diz, afirmando que as questões em geral não eram difíceis de serem solucionadas, mas que os elementos visuais podiam confundir. “As capacidades de concentração, leitura e interpretação eram primordiais para fazer essa prova”, conta. Assuntos como meio ambiente e clima, sempre presentes no Enem, foram abordados mais uma vez.

Diversidade

Em linguagens, área que abarca os temas da língua portuguesa e de comunicação, a prova não foi formulada de modo a permitir uma fácil compreensão por parte dos estudantes. “Havia alguns textos de leitura difícil e respostas que deixavam os participantes em dúvida sobre qual seria a correta”, avaliou o professor de gramática do Anglo, Henrique Braga.

Uma dessas questões com formulação controversa diz respeito a um dos temas mais abordados durante a prova, a diversidade. Com o objetivo de analisar o que configura um dialeto e um patrimônio linguístico, o Enem 2018 perguntou aos estudantes sobre o “pajubá”, nome pelo qual é conhecido um conjunto de expressões tradicionais da comunidade LGBT, identificado no texto apresentado pela prova como o “dialeto secreto utilizado por gays e travestis”.

O estudante deveria dizer qual, das cinco alternativas propostas, representava uma característica que de fato permite ao pajubá receber o status de dialeto. Para os docentes do Anglo, essa foi uma pergunta que permitia múltiplas interpretações. No gabarito oficial, a alternativa considerada correta foi a de alternativa “C”. Veja a questão abaixo.

 (Larissa Faria/VEJA.com)

Tecnologia

Meia hora depois de os portões serem fechados, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou o tema da prova de redação do Enem de 2018: “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na Internet”.

A redação é sempre uma das provas mais difíceis do Enem porque, além da verificação do domínio de uso escrito da língua portuguesa, são avaliados também o raciocínio e a capacidade de argumentação do estudante. Mas a temática da tecnologia também esteve presente entre as noventa questões propostas. Ao menos três dos itens que demandavam interpretação falavam do assunto, discutindo os mecanismos do Twitter, as reações a publicações no Facebook, opiniões sobre as mídias e os memes.

Veja um exemplo abaixo:

Questão 28 – Prova Amarela – A resposta correta é a letra “A”, o “limite predeterminado de extensão do texto”

Cancelamentos

A aplicação da prova foi cancelada em pelo menos dois locais neste domingo 4 por conta da falta de energia elétrica por um período prolongado de tempo: em uma universidade de Franca, no interior de São Paulo; e em uma escola de Porto Nacional, em Tocantins. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, os alunos afetados pela decisão poderão refazer a prova nos dias 11 e 12 de dezembro. O órgão não soube informar quantos alunos foram afetados com a decisão.

Segundo a assessoria de imprensa do Inep, a decisão de cancelar a prova por falta de luz partiu do consórcio aplicador do exame, que ainda não apresentou as razões. Estudantes que faziam a prova na cidade de Franca ficaram revoltados, pois o cancelamento da prova ocorreu no fim do dia, quase cinco horas após o início da falta de luz. A maioria dos estudantes ainda estava em sala, tinha resolvido as questões e não queria ter de refazer o exame, pois a nova data pode coincidir com outros vestibulares.