Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Petróleo fica abaixo de US$ 90 por barril em NY

Por Da Redação - 23 maio 2012, 13h22

Por Danielle Chaves

Nova York – O petróleo WTI renovou as mínimas deste ano e operou abaixo de US$ 90,00 por barril depois de os dados do Departamento de Energia (DOE) dos EUA mostrarem que os estoques no país continuam no menor nível em 22 anos em meio à fraca demanda. O euro em queda – chegou às mínimas desde julho de 2010 diante do dólar – colabora para a liquidação de contratos de petróleo, assim como a redução das tensões relacionadas ao Irã.

A valorização do dólar e as preocupações com uma possível saída da Grécia da zona do euro e com uma disseminação da crise para outros países do bloco aumentaram a pressão sobre um mercado que já vinha observando uma redução no prêmio de risco que havia crescido nos últimos meses em razão da tensão entre o Irã e as potências ocidentais sobre o programa nuclear do país.

Autoridades das Nações Unidas afirmaram que um acordo prévio com o Irã para abrir instalações controversas à inspeção foi alcançado, pouco antes de as negociações sobre o assunto em Bagdá, Iraque, começarem. O potencial rompimento do impasse ocorre antes do início de um embargo da União Europeia sobre as importações de petróleo iraniano, em 1º de julho.

Publicidade

Tony Rosado, corretor da GA Global Markets, destacou que a Arábia Saudita impulsionou sua produção de petróleo para cobrir potenciais perdas na oferta do Irã e quer ver os preços em torno de US$ 100 por barril.

Nos EUA, o DOE informou que os estoques de petróleo bruto aumentaram 883 mil barris na semana passada, para 382,5 milhões de barris, o nível mais alto desde 3 de agosto de 1990. Nas últimas nove semanas os estoques cresceram 10,5%, ou 36,2 milhões de barris. O superávit no estoque de petróleo bruto em relação à média de cinco anos subiu para 8,4%, ou 29,8 milhões de barris, de menos de 6 milhões de barris antes de o acúmulo de estoques começar. As informações são da Dow Jones.

Publicidade