Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Investimento recua 11,2% no 2º trimestre e pesa sobre PIB

Queda do indicador de Formação Bruta de Capital Fixo contribuiu para desempenho negativo do PIB brasileiro, que recuou 0,6% no segundo trimestre

Por Da Redação 29 ago 2014, 12h33

O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), que indica os investimentos, caiu 11,2% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. Em relação ao primeiro trimestre deste ano, a FBCF recuou 5,3%. A taxa de investimento no segundo trimestre de 2014 foi de 16,5% do Produto Interno Bruto (PIB), inferior à taxa observada em igual período do ano anterior (18,1%). As informações foram divulgadas nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado do primeiro trimestre do PIB brasileiro foi revisado para queda de 0,2% e entre abril e junho o país teve retração de 0,6%, na comparação trimestral. Isso significa que o Brasil entrou em recessão técnica, com dois resultados trimestrais seguidos negativos.

Do lado da oferta, o setor da indústria foi o setor que mais pesou para o resultado negativo. O PIB industrial caiu 1,5% no segundo trimestre em relação ao primeiro deste ano e teve retração de 3,4% na comparação anual. No caso do setor de serviços, houve recuo de 0,5% na comparação trimestral e um leve crescimento de 0,2% na comparação anual. O PIB da agropecuária subiu 0,2% no segundo trimestre em relação ao primeiro e não registrou variação na comparação com o mesmo período de 2013.

Leia mais:

Economia brasileira entra em recessão com recuo de 0,6% no segundo trimestre

Segundo semestre não deve mostrar alívio

O PIB é analisado pelos economistas sob duas óticas distintas: a da oferta, representada pelo setor produtivo (agropecuária, indústria e serviços) e a dos gastos, representada por investimentos, consumo das famílias, gastos do governo e balança comercial (exportações menos importações).

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)