Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Com real fraco, Latam tem prejuízo de US$ 330 milhões

Apesar do cenário adverso, resultado veio melhor do que o esperado

Por Da Redação 21 ago 2013, 10h53

A maior companhia aérea da América Latina, Latam Airlines, encerrou o segundo trimestre com prejuízo líquido de 329,8 milhões de dólares, atingida pela desvalorização do real e custos maiores, informou a empresa no final da terça-feira. O prejuízo foi maior do que a perda de 276 milhões de dólares esperada por analistas, em média, segundo pesquisa da Reuters.

A empresa, formada em junho de 2012 quando a chilena LAN assumiu o controle da TAM, havia registrado prejuízo de 448,8 milhões de dólares um ano antes, segundo dados comparativos informados pela companhia.

Leia ainda:

SAC diz que analisará pedido de ajuda das aéreas

Com alta do dólar, TAM pode aumentar preços e mudar rotas

“Os resultados foram afetados por uma perda de 348,19 milhões de dólares relacionada a flutuações cambiais geradas pela desvalorização do real desde dezembro de 2012”, informou a Latam no balanço.

Continua após a publicidade

No primeiro trimestre deste ano, a companhia havia obtido lucro de 42,7 milhões de dólares.

Multa – Na terça-feira, um tribunal do Canadá multou a Latam Airlines em 975 mil dólares canadenses (938 mil dólares) após a companhia aérea admitir ter participado de um cartel para manipulação de preços de serviço de carga. A Latam se declarou culpada de ter feito cobranças adicionais de combustível em seus envios de carga do Canadá para a América do Sul e outras regiões entre março de 2003 e fevereiro de 2006.

Leia ainda:

Entenda as denúncias de cartel no metrô de São Paulo

A Latam é a nona aérea condenada no Canadá em uma investigação sobre fixação de preços de serviços de carga, que até o momento resultou em multas de mais de 25 milhões de dólares canadenses. Outras aéreas que se declararam culpadas de manipular preços incluem a Cathay Pacific Airways, a Air France-KLM, a Cargolux Airlines International, a British Airways, a Martinair Holland NV, a Qantas Airways e a Korean Air Lines.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade