Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cade aprova fusão entre Portugal Telecom e Oi

A união entre as duas empresas, anunciada em outubro de 2013, vai formar uma nova companhia, a CorpCo

Por Da Redação - 14 jan 2014, 08h46

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições fusão entre as empresas Portugal Telecom e Oi para formar uma nova companhia, denominada CorpCo. A operação consiste no aumento de capital estimado de 13,1 bilhões de reais na operadora brasileira. A nova empresa resultante do negócio controlará todas as atividades das duas operadoras no Brasil e no mundo.

Segundo documento do Cade, “atualmente a Portugal Telecom não presta diretamente serviços de telecomunicações no Brasil. A empresa detém, indiretamente, por meio da Bratel Brasil, ações da Oi e da Telemar Participações, holding que controla a Oi, que lhe permitem fazer parte de seu bloco de controle.

Leia também:

Política de ‘campeãs nacionais’ tem novo fracasso com a Oi

Fusão entre Oi e Portugal Telecom cria gigante de R$ 40 bi

BNDES vê operação entre Oi e Portugal Telecom como positiva

Continua após a publicidade

A Oi oferece um amplo leque de produtos convergentes no Brasil, que incluem serviços de telefonia fixa e móvel, transmissão de dados, acesso à internet em banda larga, provedor de internet e TV paga. A Oi também detém, atualmente, 10% das ações da Portugal Telecom, por meio de sua subsidiária integral Telemar Norte Leste.

Para o órgão antitruste, “no mercado de telecomunicações, a operação não gera concentração horizontal ou integração vertical significativa no país, dado que a Portugal Telecom somente atua no mercado brasileiro de telecomunicações por meio de sua participação acionária na própria Oi, e controla outras empresas que prestam serviços de tecnologia da informação a operadoras de telecomunicações (inclusive a Oi)”.

A aprovação da criação da nova companhia CorpCo está em despacho assinado pela Superintendência-Geral do Cade, publicado na edição desta terça-feira do Diário Oficial da União.

Trajetória da Oi: ‘supertele’ vira empresa portuguesa

Em 2008, o governo teve de baixar um decreto para viabilizar a venda da Brasil Telecom para a Oi usando como argumento a criação de uma ‘supertele’ nacional

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade