Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Whitney Houston vai ganhar documentário de diretor vencedor do Oscar

Longa é o primeiro a ser aprovado pela família da cantora, que morreu em 2012

Por Da Redação 29 abr 2016, 09h58

A cantora Whitney Houston, que morreu em 2012, terá sua vida e carreira retratadas nos cinemas em um documentário dirigido por Kevin Macdonald, que já comandou os filmes O Último Rei da Escócia e Intrigas de Estado, e também foi vencedor do Oscar de melhor documentário em 1999 por Um Dia em Setembro. A informação foi divulgada na quinta-feira, pelo site oficial sobre a cantora, uma vez que este é o primeiro longa autorizado pela família dela.

LEIA MAIS:

Filha de Whitney Houston morreu por combinação de afogamento e drogas

Whitney Houston: afogamento e overdose podem ter matado cantora

O filme ainda não tem título definido, mas deve estrear em 2017. Ele será produzido por Simon Chinn, que também é vencedor dos Oscars de melhor documentário, por Procurando Sugar Man (2012) e O Equilibrista (2008). A cantora já foi o foco do telefilme Whitney, dirigido por Angela Bassett e estrelado por Yaya DaCosta, lançado em 2015.

Whitney era dona de uma voz incomparável e poderosa, responsável por hits eternos. como I Will Always Love You, I Wanna Dance With Somebody. Ela inspirou uma geração de cantoras mais novas como Mariah Carey, Lady Gaga, e Beyoncé. Porém, nos últimos anos de vida, passou a chamar mais atenção pela sua vida pessoal, do que por sua música, devido ao seu relacionamento conturbado com o cantor Bobby Brown e o vício em drogas. A artista morreu em 2012, afogada em sua própria banheira, após consumir cocaína.

O diretor do projeto explicou, através do site oficial da cantora, o quê o documentário deve explorar. “Whitney tinha a maior voz dos últimos 50 anos. Ela mudou a forma como a música pop é cantada. Ela também foi completamente original em ser uma estrela pop negra que elevou sua raça a nível mundial com o seu trabalho vendido em países onde artistas negros não vendem. Conseguimos acesso a cenas inéditas, desde suas origens cantando em seu coral gospel da igreja, até o dia da sua morte trágica”, revelou.

I Will Always Love You (1992)

Escrita pela cantora Dolly Parton e gravada por Whitney Houston em 1992 para o filme O Guarda-Costas, no qual ela atuou ao lado de Kevin Costner, tornou-se o grande hit da cantora, passando quatorze semanas no topo da Billboard. A música ainda levou dois Grammy, um por gravação do ano e outra por melhor performance pop individual.

Greatest Love Of All (1986)

Escrita por Michael Masser e Linda Creed e gravada originalmente por George Benson para o filme The Greatest, uma biografia do lutador Muhammad Ali, de 1977, a música só se popularizou quando foi gravada por Whitney Houston, em 1986.

How Will I Know (1985)

Quando George Merrill e Shannon Rubicam escreveram a música, queriam que Janet Jackson a gravasse, mas a irmã de Michael não quis, mas a música se tornou um sucesso na voz de Whitney Houston, em 1985.

I Wanna Dance With Somebody (Who Loves Me) (1987)

Assim como How Will I Know, foi escrita pela dupla George Merrill e Shannon Rubicam, após o grande sucesso da primeira. A música levou o Grammy por melhor performance pop individual. 

Continua após a publicidade

Didn’t We Almost Have It All (1987)

Escrita por Michael Masser e Will Jennings, foi gravada pela primeira vez por Whitney Houston em 1987, e rapidamente se tornou um grande sucesso, alcançando a primeira posição na lista da Billboard

All The Man That I Need (1990)

Escrita por Dean Pitchford e Michael Gore especialmente para Linda Clifford, em 1982, mas a música só se tornou um grande sucesso e alcançou o topo da Billboard quando Whitney Houston a gravou, em 1990.

Saving All My Love For You (1985)

Escrita por Michael Masser e Gerry Goffin, foi hit em 1978 quando Marilyn McCoo e Billy Davis Jr. a gravaram. Foi com ela que Whitney Houston estourou nas paradas de sucesso quando lançou seu primeiro disco, em 1985, e com a qual levou o seu primeiro Grammy, por melhor performance pop individual.

So Emotional (1987)

Composta por Billy Steinberg e Tom Kelly, também autores das músicas Like a Virgin, de Madonna, e True Colors, de Cyndi Lauper, ambas grandes hits dos anos 1980, So Emotional não faria diferente com Whitney Houston em 1987, se tornando sua sexta música consecutiva a ocupar a primeira posição da lista da Billboard.

It’s Not Right but It’s Okay (1999)

Foi o último grande hit de Whitney Houston, em 1999. Inicialmente lançada como lado B de Heartbreak Hotel, a música se tornou um de seus singles e rendeu a ela o primeiro lugar na lista de músicas dance na Billboard, além do Grammy por melhor performance feminina de R&B.

https://youtube.com/watch?v=0zkWqeXhGQA

We Didn’t Know (1992)

Este dueto de Whitney Houston com Stevie Wonder foi lançado no terceiro álbum da cantora, I’m Your Baby Tonight. Mas não fez muito sucesso, tendo alcançado apenas a vigésima posição na lista de R&B da Billboard.

https://youtube.com/watch?v=i7qX3eQVnQ0

When You Believe (1998)

Foi gravada por Mariah Carey e Whitney Houston para a animação O Príncipe do Egito.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)