Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Renato Aragão: ‘Feios, negros e gays não se ofendiam antes’

Comediante falou sobre o humor politicamente correto e comentou o trabalho do grupo Porta dos Fundos: ‘Eles pegam pesado’

Por Da Redação
6 jan 2015, 11h48

O comediante Renato Aragão, que completa 80 anos na próxima terça-feira, falou sobre a dificuldade de se fazer humor atualmente com a patrulha do politicamente correto. “Hoje todas as classes sociais ganharam a sua praia, e a gente tem que respeitar muito isso. Eu sou até a favor. Mas, naquela época, essas classes dos feios, dos negros, dos homossexuais, elas não se ofendiam. Elas sabiam que não era para sacanear”, diz o ator em entrevista à edição de janeiro da PLAYBOY, da Editora Abril, que também publica VEJA.

Na revista, que chega nesta terça-feira às bancas, o humorista defende que ele e Mussum, seu companheiro de Trapalhões, se divertiam com as piadas raciais. “Na época, a gente fazia como uma brincadeira. Como se fôssemos duas crianças em casa brincando. A intenção não era ofender ninguém.” Apesar da reflexão sobre o humor de antigamente e a mudança da opinião pública, o intérprete de Didi alfinetou o trabalho feito pelo grupo Porta dos Fundos. “Eles só estão errando porque pegam pesado demais. Não precisa.”

Aragão também aponta que nunca agradou à crítica especializada com seus programas de TV e filmes de cinema pelo estigma de ser nordestino. “Os pseudocineastas ficavam umas araras porque os filmes deles não encostavam [em bilheteria]. Chegava um nordestino com um rolo compressor e passava por cima”, diz.

Leia também:

Renato Aragão: “Fofocas não afetam minha saúde”

Família de Fabio Porchat vai ao Senado contra ameaças

Porta dos Fundos estreia na TV alfinetando os rivais

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.