Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Produtores fazem vaquinha para finalizar filme de Orson Welles

'The Other Side of the Wind' foi gravado entre 1970 e 1976, mas nunca foi finalizado pelo diretor de 'Cidadão Kane'; os produtores esperam arrecadar 2 milhões de dólares para terminá-lo

Por Da Redação 7 Maio 2015, 15h45

The Other Side of the Wind (O outro lado do vento, em tradução livre), último filme do diretor Orson Welles, chegou a ser rodado, mas nunca concluído. Isso agora pode mudar, contudo. Os produtores americanos Filip Rymsza, Jens Kaul e Frank Marshall lançaram uma campanha no site Indiegogo para arrecadar os 2 milhões de dólares que consideram necessários para terminar o longa. A campanha vai até o dia 14 de junho e os investidores receberão como contrapartida, de acordo com o valor doado, tíquetes para o lançamento da produção e alguns dos negativos das filmagens.

LEIA TAMBÉM:

Oscar de Orson Welles por ‘Cidadão Kane’ é vendido por 861.000 dólares

‘Um Corpo Que Cai’ é eleito o melhor filme da história e fica à frente de ‘Cidadão Kane’

Rymsza teve contato no ano passado com o gigantesco material gravado por Welles entre 1970 e 1976. Mais de uma tonelada de negativos e sonoras estavam guardados em um depósito no bairro de Bagnolet, em Paris. Os primeiros rascunhos do roteiro de The Other Side of the Wind foram escritos pelo diretor de Cidadão Kane no final dos anos 1950, quando ele deixou Hollywood e se mudou para a Europa. Em 1970, Welles retornou para os Estados Unidos e iniciou a gravação do longa.

Josh Karp, autor do livro Orson Welles’s Last Movie: The Making of the Other Side of the Wind (O último filme de Orson Welles: making of de The Other Side of the Wind, em tradução livre), falou ao site da revista americana The Hollywood Reporter sobre o longa, reflexo do contexto vivido pelo cineasta: “A história é de um diretor que se desligou de Hollywood e voltou para fazer seu filme”.

Welles iniciou as gravações em agosto de 1970, durante noites insones em uma casa que alugou na região de Beverly Hills, Estados Unidos. Entretanto, largou tudo e no mesmo ano voltou à Europa por motivos não esclarecidos. Em 1971, Welles retornou mais uma vez aos EUA, desta vez ao Estado do Arizona, e retomou as gravações, tendo um jovem Frank Marshall, futuro sócio de Steven Spielberg, como ajudante.

Após idas e vindas de gravação, Welles enfrentou problemas legais e de falta de dinheiro, e decidiu interromper tudo em 1976. O diretor de Cidadão Kane (1941) morreu em 1985 e desde então várias pessoas tentam assumir os direitos de suas obras. Para acalmar quem acha que o trabalho se desvirtuará da concepção original de Welles, Rymsza diz que os roteiros dele “são cheios de anotações feitas para os editores”. Caso a campanha seja bem sucedida, os produtores esperam terminar The Other Side of the Wind até o fim 2015, ano do 100º aniversário de Orson Welles.

Continua após a publicidade

Publicidade