Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Organização de prevenção ao suicídio no Japão critica youtuber

O canal do americano Logan Paul, com mais de 15 milhões de seguidores, exibiu o corpo de uma pessoa enforcada em floresta japonesa

Por Da redação Atualizado em 4 jan 2018, 16h45 - Publicado em 4 jan 2018, 16h24

Um importante grupo de prevenção ao suicídio no Japão fez coro às críticas ao youtuber americano Logan Paul, que publicou um vídeo de mau gosto em seu canal na internet, com cerca de 15 milhões de inscritos. No final de 2017, ele fez piadas ao encontrar uma pessoa enforcada na floresta japonesa Aokigahara, no monte Fuji, conhecida pela grande incidência de pessoas que se matam no local. “É totalmente inaceitável mostrar alguém que foi levado ao suicídio como se fosse um conteúdo humorístico”, disse Jiro Ito, que coordena a organização OVA, de Tóquio, ao Japan Times nesta quarta-feira. 

Enquanto caminhava na floresta com os amigos, Paul avistou o que seria um cadáver pendurado em uma árvore. Ele publicou o vídeo, com o título “encontramos uma pessoa morta em floresta do suicídio japonesa”, desfocando o rosto da vítima. Inicialmente chocado, o grupo logo ri da situação e não para de gravar e fazer piadas sobre o local. “Uma dica, não vão até ali”, diz, rindo, para duas garotas com quem cruza no caminho de volta. Após receber muitas críticas, o jovem apagou a publicação.

No Twitter, o rapaz pediu perdão e disse que não fez isso por visualizações. “Fiz isso porque pensei que poderia ser positivo para a internet, e não com o intuito de causar uma onda de negativismo”, escreveu, insistindo que intenção era provocar um debate sobre o tema. “Se este vídeo salvou uma vida, terá valido a pena.”

As desculpas e justificativas também não convenceram o chefe da OVA, para quem o vídeo representa uma violação das diretrizes da Organização Mundial da Saúde sobre a forma como os meios de comunicação devem informar a questão. “Embora Paul não faça parte da mídia, ele deveria ter agido com mais prudência dada sua enorme influência no YouTube”, criticou Ito.

O Japão tem uma das maiores taxas de suicídio entre os países industrializados. Nos últimos anos, o governo japonês aumentou seus esforços de prevenção de suicídios. Em 2003, número ultrapassou as 34.000 mortes. Em 2016, foram pouco mais de 21.000 pessoas.

Em sua conta no Twitter, Paul publicou pela última vez nesta terça-feira. “Tirando um tempo para refletir”, escreveu, informando que, por enquanto, não publicaria nada.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)