Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

IMPERDÍVEL: Bellocchio faz do luto poesia em ‘Belos Sonhos’

Novo filme do cineasta italiano acompanha história real de um homem que sofre os traumas da morte prematura da mãe

Por Da redação 24 dez 2016, 10h10

Adaptação da autobiografia de mesmo nome do jornalista Massimo Gramellini, Belos Sonhos (Fai Bei Sogni/ Itália e França/ 2016) trata o luto sob a ótica de uma criança, misturando conceitos da psicologia com um tom de poesia. Novo filme do cineasta italiano Marco Bellocchio, a produção acompanha a vida de Massimo a partir de um grande trauma: a morte precoce da mãe, quando ele tinha 9 anos.

  • Os atores Nicolò Cabras, Dario Dal Pero e Valerio Mastandrea se revezam no papel do personagem em diferentes fases da vida. Quando criança, cenas mostram a proximidade do menino com a progenitora. Depois da perda, ele se refugia em fantasias e personagens televisivos para lidar com a falta não só da mãe, mas do pai ausente. Situações do passado e do presente se mesclam, relacionando fatos antigos e atitudes atuais. Tudo se agrava quando o jornalista, na idade adulta, enfrenta ataques de pânico e a missão de vender o apartamento da família.

    A produção serviu, este ano, como filme de abertura da Quinzena dos Realizadores de Cannes e também da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

    Publicidade