Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bienal do Livro de São Paulo é cancelada por causa da pandemia

Feira literária iria acontecer entre os dias 30 de outubro e 8 de novembro; a próxima edição será apenas em 2022

Por Tamara Nassif Atualizado em 19 jun 2020, 20h47 - Publicado em 19 jun 2020, 20h01

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) anunciou nesta sexta-feira, 19, o cancelamento da 26ª Bienal do Livro de São Paulo por causa da pandemia do novo coronavírus. O evento estava programado entre os dias 30 de outubro e 8 de novembro, no Expo Center Norte.

Em comunicado, a CBL disse que, no momento, “a principal preocupação é garantir que o público e expositores possam voltar a frequentar o espaço do evento em segurança”. A nota também foi assinada pela parceira Reed Exhibitions, que cuida da organização. “Estamos todos trabalhando para que em 2022 os nossos visitantes tenham uma experiência ainda melhor.”

A feira literária, uma das principais do país, costuma receber em torno de 600 mil pessoas por ano e conta com estandes de editoras-chave para o mercado de livros. Uma das de maior peso, a Companhia das Letras, anunciou na última quarta-feira, 17, que não estaria presente na edição deste ano.

“Manifestamos, como é natural, nossa apreensão com os eventos de massa durante a pandemia do coronavirus, mas isso não significa que não prestigiaremos a Câmara em suas atividades em defesa do livro e da leitura no Brasil”, disse a editora, em comunicado.

Agora, a próxima edição da Bienal de SP vai ocorrer apenas em 2022. Vale lembrar que a 19ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro ainda está prevista para ocorrer em 2021. No ano passado, a feira carioca foi palco de uma tentativa de apreensão de livros com temática homossexual, determinada pelo prefeito Marcelo Crivella. Na época, a venda do livro em quadrinhos Vingadores: A Cruzada das Crianças foi impedida por ser considerada uma obra imprópria para o público infantil.

Continua após a publicidade
Publicidade